SUPLEMENTO DESPORTIVO


Golos madrugadores empurram FC Porto para triunfo histórico frente à Juventus

O FC Porto venceu quarta-feira a Juventus, por 2-1, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, com os `dragões' a capitalizaram dois golos madrugadores no início de cada uma das partes.

Num triunfo que acabou por ser histórico, uma vez que o FC Porto nunca tinha vencido nos seis confrontos até então com a formação italiana, valeram os golos de Taremi, aos dois minutos, e Marega, aos 46, enquanto a Juventus ainda conseguiu reduzir, aos 82, por intermédio de Chiesa.

Os `dragões', que vinham de quatro empates consecutivos nas provas internas, partem assim em vantagem para a segunda mão desta eliminatória frente à equipa do português Cristiano Ronaldo, que será disputada em 9 de Março, em Turim.

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, promoveu, para este jogo, quatro alterações em relação ao último desafio do campeonato, frente ao Boavista (2-2), com Mbemba, Uribe, Zaidu e Otávio a renderem Diogo Leite, Fábio Vieira, Sarr e João Mário, (...)

tendo a equipa respondido de forma irrepreensível, com uma primeira parte de grande qualidade, potenciada com um golo madrugador, que deu confiança aos `dragões'.

Logo aos dois minutos, Taremi foi astuto a aproveitar um atrasado disparatado de Betancur, que o guarda-redes Szczesny ainda tentou corrigir, mas acabou por atirar a bola contra o avançado iraniano do FC Porto, que não desperdiçou a oferta para fazer o 1-0.

Com a madrugadora vantagem, a formação `azul e branca' passou a ter mais margem para gerir o jogo, e perante a incapacidade de resposta da Juventus, sempre muito previsível nas suas saídas para o ataque, ainda chegou a ameaçar o segundo tento, num livre de Sérgio Oliveira.

Coeso a defender e confiante na troca de bola, o FC Porto teve já perto da meia hora nova oportunidade para ameaçar os italianos, em novo remate de Sérgio Oliveira, que mesmo embatendo num adversário, saiu muito perto da baliza de Szczesny.

A Juventus, que nesta primeira parte perdeu o capitão Chielilni por lesão, até conseguiu ter mais posse de bola, mas mostrou-se praticamente inofensiva no ataque, com Cristiano Ronaldo sempre muito desapoiado.

Não fosse um remate acrobático de Rabiot, que Marchesin respondeu com grande defesa, mas num lance em que foi assinalado fora de jogo, e praticamente não houve registo de acção do guarda-redes do FC Porto, com o 1-0 a prevalecer até ao intervalo.

O regresso do descanso, tal como início da partida, não poderia ter corrido de melhor forma para o conjunto português, que 30 segundos após o reatamento chegaram o segundo golo, numa jogada de contra-ataque trabalhada por Corona e Manafá e finalizada por Marega, perante a inoperância da defesa da Juventus.

Forçados a reagir com mais contundência após o 2-0, os italianos foram subindo linhas, mas ao fazê-lo acabaram por dar espaços para os contra-ataques do FC Porto, em que Sérgio Oliveira, aos 50, após iniciativa individual, obrigou Szczesny a defesa apertada.

Apesar de os italianos terem reforçado os seus argumentos ofensivos com a entrada de Morata, e mais tarde de Ramsey, o FC Porto manteve-se equilibrado com a aposta em Grujic para o lugar de Marega.

Ainda assim, Betencour, com um remate de longe, tentou surpreender a formação lusa, que respondeu à altura, já aos 74, com novo tiro de Sérgio Oliveira parado pelo guardião contrário.

Nesta toada, a partida entrou em aberto para os últimos minutos, tendo os transalpinos usado a estratégia do FC Porto para reduzir a desvantagem, e aos 82, num contra-ataque, desenhado por Cristiano Ronaldo e Rabiot, conseguiram o 2-1, por intermédio de Chiesa.

O FC Porto não se abateu com esta contrariedade, cerrou as suas fileiras para os derradeiros minutos, perante uma Juventus que não superou a falta de clarividência demonstrada ao longo do jogo, fazendo o 2-1 arrastar-se até ao final.


Voltar a Golo


Voltar a Sol Português