1ª PÁGINA


36.º aniversário da Casa dos Açores do Ontário:

Presidente exorta jovens a darem continuidade ao movimento associativo

Por Luís Aparício

Sol Português

Suzanne Cunha, presidente da Direcção Executiva da Casa dos Açores do Ontário (CAO), garante que os jovens vão ser o seu foco principal enquanto ocupar o cargo máximo na liderança da colectividade açoriana e promete que tudo fará para que sejam apoiados, escutados e incentivados para que possam alcançar o seu máximo.

Nas palavras que dirigiu aos jovens durante o jantar de Gala para comemorar os 36 anos de actividade da CAO, que decorreu no passado sábado (13), Suzanne Cunha afirmou que são eles verdadeiramente o nosso futuro" e destacou que "ao dizer isso, é nossa responsabilidade garantir que vos preparamos para o futuro para que possam dar continuidade a associações como esta".

Antes, em declarações ao jornal Sol Português, a dirigente disse que a Direcção da CAO, em conjunto com a Casa do Alentejo de Toronto, realizou uma sondagem junto de 25 jovens, para terem uma ideia de quais as suas áreas de preocupação, sendo agora "preciso fazer uma avaliação" dos resultados, para verem o que podem projectar "para dar apoio aos jovens da nossa comunidade", referiu.

Suzanne Cunha recordou que em 36 anos a CAO passou por várias fases, teve momentos altos e baixos, "mas nunca teve uma fase em que tudo estava fora do nosso controlo", como a que os assolou em Março de 2020, "quando fomos obrigados a encerrar as portas por causa da pandemia".

Agora, e passados mais de 19 meses em que "fomos todos testados como comunidade", emocional e psicologicamente, Suzanne Cunha destaca a resiliência, a determinação e a dedicação dos voluntários, sem deixar de agradecer aos sócios que deram o seu apoio à colectividade açoriana durante este período.

Falou de uma "noite de muita emoção" ao comemorarem o aniversário, mas também porque sinalizava a reabertura das actividades regulares da CAO e "felizmente os sócios e amigos decidiram mostrar-nos apoio e estamos aqui com a casa bem preenchida", referiu.

Durante a festa foi entregue a insígnia "Açor de Ouro a Manuel Terra, decisão unânime da Direcção "por serviços relevantes prestados à Casa dos Açores ou à comunidade açoriana".

O empresário, agora aposentado, natural da ilha do Pico - Açores, é há mais de 40 anos membro constante da associação Amor da Pátria, onde foi presidente das três administrações (Executivo, Assembleia-Geral e Conselho Fiscal).

No início dos anos `80, juntamente com a esposa, ingressou e teve uma participação activa no folclore do Amor da Pátria.

Envolvido no movimento associativo açoriano, principalmente no clube Amor da Pátria, Manuel Terra é também sócio que ajudou no processo de construção da CAO.

Apesar de admitir ter sido uma grande surpresa o reconhecimento que agora lhe foi prestado, o homenageado confessou ser "um orgulho receber esta insígnia" e agradeceu "do fundo do coração" a Suzanne Cunha e ao seu executivo pela nomeação.

A comemoração do aniversário da CAO terminou com a actuação do cantor luso-canadiano Tony Câmara.


Voltar a Sol Português