1ª PÁGINA


LIUNA Local 183:

Cerimónia simbólica assinalou início da construção de nova sede

Por João Vicente
Sol Português

A LIUNA Local 183 deu quarta-feira (17) o pontapé de saída para a construção da sua nova sede, um monumental edifício em Kleinburg que mais do que duplicará o espaço de que este sindicato actualmente usufrui em Toronto.

O complexo será erigido no local onde funciona actualmente o Centro de Formação Profissional da "183", num projecto previsto levar cerca de três anos a completar.

Para o administrador desta sindical, Jack Oliveira, a cerimónia de lançamento representa um "momento histórico para a Local 183 e para a LIUNA", dando ênfase à forma como vão poder servir melhor os sócios e as suas famílias nas novas instalações.

"Uma vantagem que temos neste local é que o edifício vai ser colocado numa parcela com 10 acres [4 hectares] e se no futuro houver necessidade de expandir, temos terreno e tudo o que é necessário", referiu Jack Oliveira.

O projecto prevê estacionamento para mais de 1.000 carros, múltiplas salas para reuniões e um salão principal com capacidade para 3.000 pessoas sentadas (ou 5.000 de pé), a par de espaço para a prestação de todos os serviços de clínica médica, dentária, oculista e outros a que os sócios e seus familiares têm acesso na actual sede.

Visivelmente satisfeito com o arranque do projecto e expansão desta que é a maior sindical da América do Norte no sector da construção civil estava Joseph Mancinelli, vice-presidente e responsável da LIUNA pelas regiões central e oriental do Canadá e forte aliado da "183" no seu sucesso.

"Do ponto de vista [da prestação de serviços] vai ser muito melhor", esclareceu, destacando o facto de tudo ficar centralizado num local.

"É importante para os nossos membros receberem serviços da melhor qualidade porque, afinal, é isso que fazemos: tentar oferecer-lhes o maior número de benefícios possível, e é bom ter um sítio onde os podemos servir da melhor forma", concluiu Joseph Mancinelli.

Presentes na cerimónia que marcou o início da construção estiveram entidades representativas de diferentes níveis de governação, incluindo a ministra federal do Trabalho, Emprego e Desenvolvimento de Mão-de-Obra, Patricia Hajdu que destacou Jack Oliveira e Joseph Mancinelli como "homens de visão" que "cuidam bem dos idosos e reformados" do seu sindicato, uma visão que disse partilhar.

Por seu turno, a deputada provincial Gila Martow, assistente parlamentar da ministra do Trabalho do Ontário, Laurie Scott, a quem representou, salientou estarem "concentrados nos seus objectivos, em termos do que será o próximo passo, em olharem para o futuro e cuidarem dos seus sócios", algo que poderão agora fazer ainda melhor uma vez que "vão ter excelentes instalações" para tal.

Também a presidente da Câmara de Brampton e ex-ministra provincial do Trabalho no governo de Dalton McGuinty, Linda Jeffrey, destacou estar presente porque os seus "amigos da LIUNA estão a fazer bom trabalho – só tenho pena que não seja em Brampton", brincou, acrescentando que a cidade que dirige está em franco crescimento e tem "muito prazer em manter os sócios deles ocupados" na construção de novas infra-estruturas.

Entretanto, Carmen Principato, administrador da filial irmã, Local 506, considerou este "um dia especial para a `183' e também para a `506' pois estamos unidos e estou muito feliz de poder estar aqui para partilhar com eles", destacando o progresso registado por Jack Oliveira e o seu Executivo.

De acordo com o projecto, a Local 183 vai passar de 140.000 pés quadrados na actual sede para cerca de 300.000 no novo edifício, um imóvel com seis andares e que terá no rés-do-chão a sua área semi-pública, para atendimento dos sócios, assim como acesso ao salão de festas, tal como acontece na sede actual.

Uma das diferenças está no salão, que irá dispor de um telhado revestido de relva efectivamente tornando essa ala do edifício numa colina integrada com a restante paisagem natural.

Haverá ainda escritórios bem como secções do edifício dedicadas à prestação de formação profissional e aulas, advogados, além de bastante espaço livre para acomodar necessidades futuras e outros projectos que, por enquanto, os seus responsáveis não está preparados para revelar.

"Temos umas ideias fantásticas que vão dar muito mais apoio aos nossos sócios", indicou o tesoureiro da Local 183, Luís Câmara, sem querer entrar em mais detalhes para "não estragar a surpresa".

A área total do terreno onde o empreendimento será construído, com 10,3 acres, é também significativamente maior do que os 4,3 acres de que dispõem em Toronto, permitindo continuar a expandir no futuro se, e quando, necessário.

A execução do projecto está a cargo dos membros da LIUNA e da firma de arquitectos Diamond Shmitt, um dos quais, Steven Bondar, revelou que a zona onde se insere é ainda designada para uso industrial, mas que eventualmente o edifício será "a jóia do bairro que irá crescer à sua volta".

Após proferidos alguns discursos perante uma pequena multidão de sócios e dirigentes da sindical, o executivo da "183, juntamente com alguns dos convidados, deu a primeira pazada simbólica do arranque deste gigantesco projecto que se conta esteja concluído em 2021.

Por fim, foram todos convidados a abrigarem-se do frio e do vento que se fazia sentir e a dirigirem-se a uma tenda aquecida que se encontrava no local, onde se realizou um beberete.


Voltar a Sol Português