1ª PÁGINA


Dupla realização no parque Madeira:

Tourada à corda e Festa do Imigrante levam centenas até Georgina

Por António Perinú
e Noémia Gomes
Sol Português

Desde 2010 e durante seis anos a ganadaria luso-canadiana Sol e Toiros realizou, a par das chamadas touradas à corda, de tradição terceirense, várias dezenas de corridas de toiros clássicas para os aficionados da festa brava no Canadá, chegando mesmo a construir uma praça de toiros em Dundalk, a Monumental Vítor Mendes, que foi oficialmente inaugurada por aquele matador a 9 de Julho de 2011.

Dado as touradas de praça, como lhes chamam os aficionados terceirenses, serem tão mais dispendiosas do que as touradas à corda, e uma vez que a aderência de público era reduzida para espectáculos desta envergadura, os ganadeiros empresários Élio Leal e Fernando Gonçalves perderam milhares de dólares em cada espectáculo, acabando por resolver suspender este ano as corridas de toiros e realizar apenas touradas à corda.

Embora sejam espectáculos totalmente distintos, esta é a realidade pelo que a temporada taurina em 2017 consistirá exclusivamente das tradicionais touradas à corda à moda da ilha Terceira, com cinco espectáculos agendados: o primeiro no passado dia 3 de Junho, seguindo-se os outros a 15 e 29 de Julho, 26 de Agosto e 9 de Setembro, todos no parque Madeira, em Georgina.

No passado sábado (15) assistimos à segunda tourada à corda desta época e mais uma vez este prestigioso parque, propriedade da Casa da Madeira de Toronto, se engalanou para receber uma realização da ganadaria Sol e Toiros.

Antes da tourada, propriamente dito, quatro bezerras fizeram a delícia dos mais pequenos que puderam assim brincar aos toureiros e praticar as suas "técnicas", aprendendo a ter contacto com a festa brava de raízes terceirenses que gera grande entusiasmo popular.

Logo de seguida, e como manda a tradição, um foguete subiu ao céu e o seu rebentar sinalizou a saída do primeiro toiro dessa tarde que saiu do curro cheio de gás e percorreu todo o recinto – o que, aliás, aconteceu também com os quatro restantes – varrendo com os mais afoitos que se encontravam no seu interior.

Ao longo de uma tarde magnífica de calor e sol não faltaram momentos de entusiasmo e boa disposição, com os capinhas de serviço – Nelson Mendes, Brandon Lima e Taylor Ramos – a enfrentarem os cornúpetos com o guarda-chuva, como é tradicional, com o pau a fazer de muleta, com recortes e de corpo limpo, fazendo as delícias dos apreciadores e, consequentemente, sempre muito aplaudidos.

Os cinco toiros saíram bem, a deixarem alguns sustos e toques nos intervenientes, sendo de realçar também o trabalho dos pastores e de Ivo Mendes, maioral da ganadaria Sol e Toiros.

Élio Leal não pôde estar presente nessa tarde mas a ganadaria esteve representada pelo seu sócio, Fernando Gonçalves, sendo a esposa de Élio, Louisa Leal, quem deu publicamente as boas-vindas e agradeceu a presença dos aficionados e dos intervenientes na tourada.

Além de reconhecer a presença dos ganadeiros Vaz Lourenço, Sousa e Dutra, pediu também um minuto de silêncio em memória de João das Neves, mais conhecido por "200", pastor da ganadaria Sol e Toiros que faleceu dias antes, a 9 de Julho, vitimado por um ataque de coração.

Louisa Leal estava particularmente radiante pois recentemente tornou-se avó quando a filha, Kayla, deu à luz um menino a quem deram o nome de Aiden Leal Albert, nascido precisamente no dia em que ela também faz anos – 7 de Junho.

Esta foi a primeira tourada a que o pequeno "assistiu", como a avó fez questão de salientar à nossa reportagem, o que prevemos seja garantia de que será mais um aficionado e continuador da obra da Sol e Toiros.

A par desta tourada à corda o parque Madeira foi palco também da Festa do Imigrante, um encontro que tradicionalmente é ali celebrado todos os anos.

Em declarações ao jornal Sol Português, o presidente do Executivo da Casa da Madeira, Rick Coelho, mostrou-se feliz pela aderência do público, destacando estarem ali muito mais pessoas do que na edição do ano passado,

Foi, como frisou, um dia "magnífico", com "toda a gente a desfrutar de um bom convívio".

Ali encontrámos também os mordomos da Irmandade do Divino Espírito Santo de Scarborough, João Martins e esposa, que se deslocaram ao parque com um grupo de amigos, entre os quais César Pedro da Nossa TV e o fotógrafo Luís Silva, para desfrutarem de momentos de grande camaradagem.

O resto da tarde e da noite seria abrilhantado musicalmente pelo duo Raça Latina, num espectáculo e baile que levou muitos dos visitantes até à pista de dança.


Voltar a Sol Português