1ª PÁGINA


Ana Bailão inaugura escritório de campanha

Vereadora luso-canadiana recebe apoio de três ex-presidentes da Câmara de Toronto

Por João Vicente
Sol Português

A vereadora e actual vice-presidente da autarquia de Toronto, Ana Bailão, inaugurou no passado sábado (15) o seu escritório de campanha na recandidatura ao cargo que ocupa na Assembleia Municipal e em representação de um redefinido distrito de Davenport.

Em apoio à candidata luso-canadiana esteve aquele que foi identificado como o seu mentor político, o ex-vereador e ex-deputado luso-canadiano Mário Silva, bem como várias outras entidades políticas, incluindo três ex-presidentes da Câmara de Toronto: Barbara Hall, Art Eggleton e David Crombie, assim como o deputado federal Adam Vaughan.

Tema comum, tanto nos discursos como nos comentários que colhemos, foi o entusiástico apoio à recandidatura de Ana Bailão por a considerarem altamente qualificada, trabalhadora e com capacidade de atingir consensos em torno de objectivos e assuntos difíceis, independentemente da estirpe política dos vereadores com quem trabalha.

Convidados e público foram recebidos pela candidata naquele que será o quartel-general da sua campanha até Outubro – localizado ao 1226 da avenida St. Clair Oeste – sendo o primeiro a pronunciar-se publicamente o deputado federal eleito por Spadina-Fort York, Adam Vaughan.

Uma salva de palmas acolheu a sua afirmação de que "cabe a cada um de nós certificar-se de que, aconteça o que acontecer, após esta eleição municipal a cidade fica devidamente representada por pessoas que sabem construir cidades, proteger comunidades, ouvir os residentes dos bairros e resolver os problemas, de porta em porta, e para isso não há melhor candidato nesta cidade do que Ana Bailão".

Adam Vaughan viria ainda a reafirmar o seu apoio dizendo ter trocado a autarquia de Toronto pelo Parlamento em Otava para que candidatos "como Ana Bailão tenham os recursos de que precisam para construírem uma cidade justa, equitativa, onde os nossos filhos possam crescer e viver perto dos avós, dos pais, perto do trabalho, perto da escola e de ruas" seguras, citando como exemplo "a St. Clair e a Dufferin".

Em declarações ao jornal Sol Português, a ex-autarca Barbara Hall elogiou a candidata luso-canadiana e expressou-lhe o seu apoio ao afirmar: "é inteligente, honesta, trabalha arduamente, importa-se com o cidadão comum, percebe de negócios a tantos níveis e é capaz de trabalhar com quem quer que seja" destacando ainda que não trabalha por ideologia, mas sim "com os resultados em vista".

Destacando a sua dedicação ao problema da habitação acessível, Barbara Hall salientou que as qualidades demonstradas pela vereadora são "absolutamente essenciais [nessa pasta] numa altura como esta, em que as coisas estão tão caóticas e conflituosas".

Também Art Eggleton, no seu discurso, viria a acentuar o que Ana Bailão tem conseguido realizar na pasta da habitação e a importância de reelegê-la para dar continuidade a esse trabalho, incentivando o público a apoiar a candidata por Davenport.

"Trabalhei com ela em alguns projectos específicos, é uma mulher com integridade, a sua palavra tem valor, está disposta a tentar novas iniciativas, é sempre honesta connosco e tudo isso vai ser necessário para a próxima Assembleia Municipal, por isso estou aqui hoje", declarou David Crombie ao jornal Sol Português, antes de acrescentar com uma gargalhada: "além disso vou-lhe emprestar um dos meus netos", que será um dos auxiliares na campanha.

Ana Bailão começou a sua carreira política como assistente do então vereador Mário Silva, que recorda porque a escolheu para o cargo: "era uma estudante brilhante, muito activa, e eu pensei `um dia vai ter uma carreira brilhante e precisamos mesmo dela na política'".

"Sempre tive muita confiança no trabalho da Ana, ela merece o nosso apoio, tem feito um excelente trabalho, devemos estar muito orgulhosos de ser vice-presidente da Câmara de Toronto e acho que ela, quem sabe, um dia ainda pode vir a ser presidente da Câmara", concluiu.

Para Tony Letra, "além de ser um dever, acho que temos de apoiar pessoas com qualidades, pessoas que façam algo para promover a nossa comunidade", destacou, apelando "a todos os portugueses que a apoiem, pois ela tem demonstrado ao longo da sua carreira as suas qualidades de trabalhadora, de pessoa que se importa com os problemas dos residentes e por isso a apoio e sugiro que a apoiem também".

Também, Paula Medeiros, que compareceu a esta ocasião não só como cidadã de Toronto mas também em nome do PSD de Toronto – cujos membros diz serem unânimes no apoio a Ana Bailão – incentivou os portugueses a darem o seu apoio à candidata luso-canadiana.

"Estou aqui para fazer voluntariado, a apoiar a campanha da Ana porque temos todos a ganhar; não é só a Ana a ganhar como vereadora, somos nós também, como habitantes desta cidade que precisa que alguém trabalhe por ela e a Ana é das pessoas com mais potencial na actual Câmara de Toronto", afirmou.

"A razão de eu me dedicar tanto à habitação é porque acredito que isso é central em relação à cidade que desejamos construir", afirmou Ana Bailão durante o seu discurso, logo após ter "culpado" Adam Vaughan por "esta trabalheira toda", explicando que foi ele quem foi ao seu escritório quando deixou a política municipal e lhe disse: "bom, Ana, vais ter de ser tu a tomar a liderança disto e combater a venda de todas estas residências do Departamento de Habitação Social de Toronto", (TCHC, na sigla inglesa).

Também a questão da redução do número de vereadores na Assembleia Municipal, proposta pelo governo provincial, foi abordada, dividindo-se as opiniões dos que se encontravam presentes neste encontro entre a total rejeição da medida e expressões de compreensão, embora todos parecessem unânimes em rejeitar o momento escolhido para o fazer, referindo a "incerteza" que está a gerar, quando falta pouco mais de um mês para as eleições.

Apesar de tudo, a par da admiração e respeito que transbordaram em relação a Ana Bailão, havia também bastante fé e esperança na sua vitória.

Após terminarem os discursos e de uma oportunidade para conversar, aproveitar os petiscos e tirar algumas fotos, foi altura de partir o bolo comemorativo da ocasião, tarefa à qual ajudaram os pais de Ana Bailão.

Entretanto, muitos dos seus voluntários faziam-se já ao caminho, para darem início à campanha de porta em porta.


Voltar a Sol Português