1ª PÁGINA


Covid-19: Health Canada aprova vacina para crianças com menos de cinco anos de idade

A Health Canada aprovou uma vacina contra a Covid-19 para bebés e crianças entre os seis meses e os cinco anos de idade, tornando assim a farmacêutica Moderna na primeira a ser autorizada a fornecer imunizantes para esta faixa etária no país.

A vacina Moderna Spikevax aprovada para este grupo demográfico em idade pré-escolar deve ser administrada em duas injecções, cada uma com um quarto da dose para adultos.

A Health Canada anunciou a aprovação na passada quinta-feira (14), ao mesmo tempo que delineou as recomendações do Comité Consultivo Nacional de Imunização (NACI, na sigla em inglês).

O NACI recomenda a administração às crianças entre os seis meses os cinco anos de idade duma série primária de duas doses, cada uma de 25 mcg, com pelo menos oito semanas de intervalo entre cada uma.

Para as crianças nesta faixa etária que são moderadamente a gravemente imunocomprometidas, o NACI recomenda uma série primária de três doses, com um intervalo de quatro a oito semanas entre cada dose.

A vacina da Moderna não deve ser administrada a uma criança no mesmo dia em que receber qualquer outra vacina, recomenda o NACI, acrescentando que a vacinação contra a Covid-19 deve ocorrer 14 dias antes ou depois de qualquer outra imunização.

Os efeitos secundários mais comuns após a vacinação com a Spikevax são irritabilidade ou choro, assim como dores no local da injecção e sonolência.

Outros efeitos secundários da vacina pediátrica que foram observados incluem febre, náuseas ou vómitos, inchaço ou sensibilidades dos nodos linfáticos debaixo do braço e dores de cabeça.

Estas reacções são, em geral, ligeiras ou moderadas e desaparecem em poucos dias, segundo as autoridades.

O Ministério da Saúde do Ontário, entretanto, espera receber fornecimentos da vacina pediátrica "até ao final desta semana", para que possa ser distribuída nos locais de vacinação em toda a província.

A revisão do NACI do pedido de aprovação da Spikevax incluiu uma análise detalhada dos dados resultantes dos ensaios clínicos, bem como da propagação e gravidade do coronavírus em crianças com menos de cinco anos.

Os ensaios clínicos envolveram cerca de 6.500 crianças, não tendo sido registados nenhum óbito ou casos de miocardite ou pericardite durante o período do estudo.

O órgão consultivo de vacinas observa que, embora a maioria das crianças que contraem Covid-19 tenham sintomas ligeiros ou permaneçam mesmo assintomáticos, algumas ficam muito doentes e necessitam ser hospitalizadas.

Segundo ainda o NACI, as crianças que contraíram vírus "correm o risco de sofrer da síndrome inflamatória multissistémica em crianças (MIS-C), uma complicação rara, mas grave da Covid-19 que geralmente requer hospitalização".

As crianças com condições médicas subjacentes correm maior risco de terem resultados graves, acrescenta o comité consultivo.

Há quase dois milhões de crianças com menos de cinco anos no Canadá e o NACI aponta para estudos realizados na Colúmbia Britânica e no Quebeque, que mostram que muitas das crianças nessa faixa etária tiveram Covid-19.

A maioria dessas infecções ocorreu depois da Ómicron se ter tornado a estirpe dominante, observou a agência.

Até ao momento, os dados preliminares revelam que a vacina é 50,6% eficaz na prevenção da Covid sintomática em crianças entre os seis e os 23 meses de idade, quando a Ómicron é a variante dominante.

A eficácia é estimada em 36,8 por cento nas crianças dos dois aos cinco anos de idade, duas semanas após a segunda dose.

A 23 de Junho, a Pfizer-BioNTech também submeteu a sua vacina pediátrica para crianças entre seis meses e quatro anos de idade à aprovação da Health Canada, mas ainda não há uma indicação de quando será tomada uma decisão.


Voltar a Sol Português