1ª PÁGINA


Um exemplo de caridade e persistência

Angariação de fundos organizada por luso-canadiana pretendeu ajudar pessoas na lista de espera de transplantes

Por Avelino Teixeira
Sol Português

Leslie Martins nasceu em Toronto há 38 anos, filha de pais naturais da Ribeirinha, ilha Terceira - Açores.

É uma grande actriz de "Teatro de Rua", uma forma de entretenimento que nasceu com ela e da qual se apercebeu aos 12 anos de idade, quando todos os Verões visitava a freguesia berço de seus pais e ali se inteirava das tradições carnavalescas terceirenses conversando com os habitantes mais idosos – algo que ainda adora fazer.

É mãe de três filhos, todos eles a seguirem o rumo materno – Katelyn Miranda, 17 anos, actualmente e estudar na Universidade de Toronto; Xavier Garcia, com 10 anos; e com 9 anos Delilah Garcia, que já exerceu a função de "Puxador de dança" – e está actualmente grávida com o quarto filho.

Em 2009, Leslie Martins começou a sentir-se doente, com problemas de pele causados por insuficiência hepática e quando em 2010 fica grávida com o seu terceiro bebé a situação agravou-se.

Em Agosto desse ano é submetida a uma biopsia e em Setembro é-lhe dito que o alívio só seria proporcionado por um transplante de fígado.

O tempo decorria e o sofrimento aumentava, e a 9 de Abril de 2013, já não podendo aguentar mais, vai ao hospital pedir ajuda.

Nessa altura é-lhe colocada uma agulha especial na via venosa, o que em inglês se designa por "picc line". através da qual se extrai sangue ou se injectam medicamentos, e julga-se ter sido por causa deste procedimento médico que sofreu uma grave embolia.

Finalmente, a 28 de Maio desse ano – depois de vários testes e da mãe lhe ter doado 68 por cento do seu próprio fígado numa operação cirúrgica de oito horas – Leslie recebe um transplante. A operação demorou 10 horas.

Passados seis anos, todavia existe a possibilidade de uma rejeição do transplante.

Para que tal não aconteça, Leslie segue rigorosamente um tratamento que, embora lhe cause muitos efeitos secundários, proporciona-lhe uma vida normal.

Por tanto ter sofrido e por conhecer pessoas que também foram submetidas a transplantes de fígado, rins e coração – e outras que aguardam ansiosamente a sua vez – e por ter sido bem tratada pelo Toronto General Hospital e reconhecer que o mesmo necessita de condições para melhor acomodar os pacientes no departamento de transplantes, em 2018, e com prévia autorização, Leslie Martins organizou um evento no qual participaram 197 mulheres e que resultou na angariação de pouco mais de 15.000 mil dólares.

No passado sábado (16), levou a efeito outra angariação de fundos no Centro de Convenções Oásis, desta feita com a aderência de 306 pessoas, que rendeu 20.778 dólares.

A publicidade foi feita por si, através do Facebook, e rapidamente se propagou pelos muitos amigos e amigas.

O marido, Tony Leal, tratou dos patrocínios que vieram misturados com muitos sorrisos e boa vontade de várias firmas, particulares e empresas locais.

Antes de ser servido o lauto jantar, Leslie e Maria Maiato subiram ao palco para saudar o público e dar-lhe as boas-vindas, referindo depois os recipientes de transplantes que se encontravam na sala como forma de encorajar os que aguardam pela sua oportunidade e alertar para a necessidade da doação de órgãos para suavizar as condições de muitas vidas e salvar outras.

Assim, foram destacados Kelly Palmieri, Elvira Nunes, Joe Morgado, Jimmy Silva e, na lista de espera, Noémia Régio.

Entretanto, anunciaram que o evento em 2020 vai dar também acesso aos homens pois afinal também eles são candidatos a transplantes ou recipientes dos mesmos, notícia que foi recebida com um grande aplauso de concordância.

Por fim, Leslie mencionou a doação pela segunda vez de uma tela pintada pela sua amiga Margaret Ficher Pedro, obra que representava duas mãos que se oferecem ao bem fazer e que fez parte do leilão silencioso, revelado no fim da festa.

No final da refeição, o espectáculo abriu com Lídia de Sousa a subir ao palco e a deixar transparecer a sua alegria entoando cantigas populares que agradaram às convivas que jamais pararam de dançar.

O mesmo aconteceu com Victor Martins que interpretou canções extraídas dos seus trabalhos discográficos, nomeadamente a "Mariana", que tem obtido grande sucesso.

Seguiu-se Zé Nandes com reportório próprio e a continuar a trazer o público à pista de dança.

Para finalizar as actuações, João Carlos Silva apresentou-se com seu novo visual, interpretando canções maravilhosas, bem ao seu estilo e que iam de encontro ao romantismo dessa noite dedicada às mulheres recipientes de transplantes.

A certa altura o artista incitou a organizadora do evento a abraçar-se à mãe e às filhas enquanto as amigas faziam um círculo em redor delas, num momento bastante comovente.

Houve ainda tempo para uma agradável surpresa, com a pequena Isabel Moreira, de12 anos, que se acompanhou a si própria na interpretação de "You Don't Know My Name" e que, embora tenha começado a cantar apenas há um ano, revelou enorme talento e sobretudo graça angélica.

Todo este elenco musical foi apoiado pela produção técnica e som de Mark Lima que no final convidou todas as mulheres a dançar ao som dos sucessos musicais dos anos '80, '90 e 2000.

Uma única interrupção permitiu revelar os resultados do leilão silencioso, momento que terminou com a entrega de uma viagem à Terceira a Elizabete Pereira, uma oferta de Marina Souvenirs, da Praia da Vitória, ali representada por Sandra Moniz Nunes, após o que o DJ Mark Lima deu continuidade ao serão dançante.


Voltar a Sol Português