1ª PÁGINA


Canadianos devem estar preocupados com a fiscalização dos telemóveis na fronteira americana

O Comissário para a Privacidade, Daniel Therrien, disse na Câmara dos Comuns, na passada terça-feira (19), que os canadianos devem estar "muito preocupados" com o facto dos seus telemóveis, computadores e outros dispositivos electrónicos poderem ser analisados e vasculhados pelos agentes do Serviço de Fronteiras dos Estados Unidos.

Therrien disse, perante a Comissão de Acesso à Informação, Privacidade e Ética, que os agentes fronteiriços americanos podem mesmo exigir as palavras-passe dos dispositivos, para os investigarem, e sublinhou que as estatísticas mostram que tem aumentado o número de telemóveis analisados na fronteira americana, desde 2015 até ao início deste ano.

"Todo este tipo de equipamentos contém informação muito sensível. Por isso, devíamos estar muito preocupados.", disse Therrien.

O deputado do Partido da Nova Democracia, Nathan Cullen, questionou o comissário sobre se entende que os canadianos deviam deixar de viajar para os Estados Unidos com telemóveis, computadores portáteis e tabletes, e referiu um episódio ocorrido com um seu constituinte: foi-lhe negada a entrada em território americano, devido a problemas relacionados com a saúde, porque no seu telemóvel havia informação relativa à prescrição de medicação para o coração.

Daniel Therrien respondeu que os canadianos devem fazer uma avaliação à "tolerância" que têm a que examinem a informação disponível nos seus equipamentos electrónicos, e que "deveriam limitar a informação contida nesses dispositivos, quando viajam para os Estados Unidos."

Na Primavera passada, Therrien já tinha expressado a sua preocupação relativamente aos planos americanos para exigirem a análise dos telemóveis e a possibilidade de exigirem as palavras-passe para poderem aceder às redes sociais de quem entra no país.


Voltar a Sol Português