1ª PÁGINA


Portugal oferece mais 25.000 euros à TCDSB para ensino de português

Referente ao ano lectivo 2017/18, governo português repete contribuição feita em 2016 para o programa de línguas internacionais da Direcção Escolar Católica de Toronto

Por João Vicente
Sol Português

Representantes da Direcção Escolar Católica de Toronto (TCDSB, na sigla inglesa) e do governo português assinaram na pretérita sexta-feira (16) uma adenda ao memorando de entendimento entre o Estado português e a TCDSB que resultou na atribuição de mais um subsídio de 25.000 euros para o programa de línguas estrangeiras.

Relativa ao ano lectivo de 2017/18 e lavrada na presença de representantes de organizações sindicais e do Instituto Camões, a adenda renova a referente ao período 2016/17 com idêntica quantia – assinada cerca de dois anos antes pelo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas – no memorando que está vigente desde Março de 2012.

"No fundo, o grande objectivo deste apoio é contribuir para a preservação do programa de línguas internacionais", referiu a coordenadora do ensino do português no Canadá, Ana Paula Ribeiro, acrescentando que se trata de um programa "importantíssimo para nós, porque a língua portuguesa é a segunda mais ensinada" nas Escolas Católicas de Toronto.

Daí que este gesto pretenda mostrar o reconhecimento do governo português em relação à Direcção Escolar e apoiar os professores que há muitos anos se dedicam ao ensino de línguas.

"Contribuímos com o máximo que podemos, com livros, bibliotecas e formação de professores [...] – tanto quanto possível damos todo o apoio à língua, que é uma prioridade da política externa portuguesa", afirmou por seu turno o cônsul de Portugal em Toronto, Luís Barros, em declarações à imprensa.

Além de ser "a língua dos nossos afectos, dos nossos amores, dos nossos pais e antepassados" o diplomata salientou ainda que o aprendizado do português abre as portas à produção literária, cultural e científica de todos os países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), além de permitir a comunicação com as comunidades de língua portuguesa espalhadas pelo mundo.

Manuela Sequeira, coordenadora de participação dos pais, relações comunitárias e línguas internacionais da Direcção Escolar Católica, e mestre-de-cerimónias durante este encontro, salientou que desde a sua criação, em 1973, que a TCDSB reconhece a necessidade de oferecer oportunidades para o desenvolvimento da proficiência cultural e linguística aos seus alunos.

Nesse sentido criou de imediato um programa de ensino de línguas estrangeiras, antes ainda do Programa de Línguas de Herança do Ontário ter entrado em vigor, em 1977.

Barbara Poplawski, que preside à TCDSB, expressou gratidão por esta parceria com o Instituto Camões, destacando a importância de aprender múltiplas línguas numa cidade poliglota e multicultural como Toronto, enquanto o director Rory McGuckin referiu que o dinheiro contribuído pelo governo português através daquela instituição ajuda a TCDSB a colmatar algumas lacunas no financiamento deste programa pelo Ministério da Educação do Ontário

Segundo este director de educação, a TCDSB reconhece o valor do programa de línguas – que regista actualmente mais de 3000 alunos inscritos nas aulas de português – e tenta dar-lhe prioridade, pelo que esta verba vai ajudar a garantir a sua longevidade.

Também o cônsul Luís Barros focou a importância de manter a língua portuguesa no programa de línguas das Escolas Católicas, enfatizando ainda a necessidade da participação cívica e envolvimento dos pais para que não se extinga.

Como referiu, dando um exemplo comparativo, a participação do estado português adapta-se às condições de cada país pelo que se na Holanda o ensino do português foi totalmente assumido e custeado por Portugal, quando o governo holandês descontinuou o ensino de línguas alóctones, já no Canadá o ensino do português ainda se verifica nas escolas, mas dependerá também de se fazer saber e sentir que existe essa necessidade.

"[O português] já é ensinado, e será tanto mais ensinado quanto a comunidade se afirmar e fizer sentir aos candidatos e aos membros dos conselhos dos distritos escolares que a língua portuguesa é uma língua importante e (...) enriquece o próprio Canadá", afirmou o diplomata, apelando aos pais para que peçam e inscrevam os filhos nos programas de português do ensino público.

Maria José Chaves, que dá aulas de português numa escola da TCDSB e pertence ao Executivo do Sindicato de Professores de línguas internacionais, destaca igualmente a importância dos pais pressionarem as entidades responsáveis nas escolas frequentadas pelos filhos no sentido de manterem o ensino da língua, ou, caso ainda não seja oferecida, pedindo para que passem a fazê-lo.

Como referiu, este apoio não só injecta uma verba importante no programa como ajuda os professores de português a sentirem-se apoiados na sua missão.

No final dos discursos o director de educação da TCDSB e o cônsul de Portugal assinaram os documentos, tendo este último procedido à entrega do envelope com o cheque à Direcção Escolar Católica antes de passarem a um beberete, que assinalou o fim da cerimónia.

Segundo apurámos, no dia 28 de Abril a coordenação do ensino do português no Canadá vai realizar um simpósio na Universidade de Toronto onde, além da habitual formação de professores, vai ser apresentada a Associação de Professores de Português do Canadá, organismo que irá contar com representantes de várias escolas e províncias do país.


Voltar a Sol Português