1ª PÁGINA


Canadá/Covid-19:

Ontário espera ter ultrapassado auge dos contágios

Ainda que em números absolutos o total de pessoas que se sabe estarem infectadas com Covid-19 em todo o mundo tenha aumentado em cerca de meio milhão (28 por cento, de 1,9 milhões para 2,45 milhões) no período de 13 a 20 de Abril, proporcionalmente, o número dos que superaram a doença aumentou cerca de 30 por cento, de quase meio milhão para 652.000 dados como recuperados.

Apesar disso, a Organização Mundial de Saúde continuava a classificar a doença com a designação de "muito alto risco", tendo-se registado mais 50.000 mortes em todo o mundo – de cerca de 120.000 para 169.000, um aumento de quase 41 por cento.

No mesmo período no Canadá o número de infectados – que uma semana antes se cifrava em pouco mais de 25.000 – acresceu cerca de 10.000 novos casos e os óbitos, que totalizavam 780, mais do que duplicaram para 1600.

Ainda assim, as autoridades canadianas indicam começarem a notar-se sinais de que o contágio esteja perto do auge e esperam que em breve se note um abrandamento no número de infectados, sobretudo no Ontário.

A directora de saúde pública do Canadá, Theresa Tam, identificou os focos de infecção em instituições residenciais ou de cuidados prolongados para idosos como o maior problema, daí tendo surgido perto de metade dos óbitos atribuídos à Covid-19 no país.

Novas regras passaram entretanto a ser impostas pelo governo federal, exigindo a qualquer pessoa de regresso ao Canadá e que não apresente uma proposta credível para se auto-isolar que cumpra a quarentena num hotel ou noutro local designado pelas autoridades, sendo igualmente proibido a estadia com pessoas consideradas "vulneráveis" – por terem mais de 65 anos ou problemas de saúde.

Numa reunião do Parlamento do Ontário, da qual participou um número reduzido de deputados, o estado de emergência na província foi prolongado por mais um mês, com o primeiro-ministro Doug Ford a afirmar ser ainda cedo para abrandar as medidas de segurança em vigor.

Doug Ford aproveitou ainda para informar que as aulas não iriam recomeçar no dia 4 de Maio, como estava previsto, mas isso não significava que o ano lectivo tivesse sido cancelado, apontando para mais informações a serem emitidas nos próximos dias pelo ministro da Educação, Stephen Lecce.

O governo provincial anunciou também a adopção de outra regra relativa aos lares e instituições de cuidados a idosos e que limita os funcionários a trabalhar em apenas um local para diminuir o risco de contágio.

De acordo com o ministério da Saúde do Ontário, até aquela data os números apontavam para 857 funcionários do sector da saúde com Covid-19, sendo subsequentemente revelado que a proporção de residentes em lares de terceira idade infectados é o dobro da que se regista na população geral.

No hospital St. Joseph, em Toronto, foi declarado um surto epidémico na unidade de cuidados intensivos, pela qual tinha passado um doente com Covid-19, tendo posteriormente dois funcionários do hospital sido diagnosticados com a doença.

A nível citadino, a Comissão de Transportes Públicos de Toronto (TTC, na sigla em inglês) anunciou que 13 dos seus funcionários, com funções diversas, tinham tido testes positivos, enquanto que a directora da saúde pública do município, Eileen de Villa, deu a conhecer a existência de um foco de infecção no sistema de centros para os sem-abrigo, com 30 pessoas diagnosticadas com Covid-19 em sete locais diferentes.

Embora ninguém tivesse ainda morrido, as autoridades prepararam-se para essa eventualidade e a directora dos serviços de abrigo, Mary-Anne Bedard, anunciou a abertura de um espaço dedicado à recuperação de pessoas sem-abrigo que estejam infectadas.

Contava-se que esse local, inicialmente projectado para acolher 50 pessoas, viesse a ser substituído nas semanas vindouras por outro com capacidade para 400 utentes.

Entretanto, e após terem surgido 93 novos focos infecciosos em instituições da terceira- idade no Ontário, o Primeiro-ministro Doug Ford, a par dos já anunciados protocolos mais exigentes para a contenção da doença, revelou que seriam enviadas equipas médicas de emergência constituídas por funcionários de hospitais para testar todos os funcionários e pacientes.

A nível de medidas de auxílio às pessoas que perderam o emprego devido à crise da Covid-19, o Primeiro-ministro Justin Trudeau anunciou que o programa CERB seria reajustado por forma a abranger também as que não deixaram por completo de trabalhar, permitindo-lhes receber até 1.000 por mês de salário além dos 2.000 que são atribuídos pelo governo federal.

Enquanto isso, Otava pretende colaborar com as províncias com vista a aumentar temporariamente o salário dos trabalhadores considerados essenciais e que ganham menos de 2.500 dólares mensais, como forma de melhor os compensar pelos riscos que correm no desempenho das suas funções.

Reagindo à celeuma causada pelo anúncio do Presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Donald Trump, de que o seu país iria deixar de financiar a OMS devido à forma escandalosa como esta geriu a pandemia, o Primeiro-ministro canadiano referiu que o Presidente americano não tinha pressionado o Canadá nesse sentido.

Segundo indicou, o Canadá irá aumentar a sua contribuição – embora com a ressalva de que as mensagens e os procedimentos da OMS serão examinados mais tarde e que para já as atenções devem permanecer centradas na luta contra o vírus.

Ainda em relação ao efeito das relações EUA-Canadá na pandemia, a Dra. Theresa Tam referiu que a situação do outro lado da fronteira vai ter um grande impacto no estabelecimento da "nova normalidade", após a primeira vaga de infecções estar sob controlo.

Isto porque, uma vez atingida essa meta, os casos de transmissão por pessoas que atravessam a fronteira representam um risco a mitigar e que poderá implicar restrições nas viagem não só entre o Canadá e os EUA, mas também entre o Canadá e outros países.

A directora dos serviços de saúde do Canadá anunciou que os indícios do abrandamento da epidemia seriam causa para optimismo cauteloso, uma vez que o número de casos detectados passou a duplicar a cada 10 dias em vez de a cada três, como acontecia no final de Março.

Fazendo um paralelo entre flexibilizar as regras de distanciamento social e "descer uma montanha no escuro", a médica destacou que o abrandamento das medidas em vigor não poderá ser imediato porque se não "a queda vai ser dura e implacável".

Entretanto a Agência de Serviços Fronteiriços do Canadá anunciou a redução temporária do horário de travessia entre o Canadá e os EUA nos postos de menor movimento, alteração que indicou estar relacionada com as medidas relativas ao Covid-19 enquanto a fronteira permanecer encerrada ao trânsito "não essencial".

Por seu turno, a ministra da Agricultura alertou para a possibilidade de este ano se virem a registar preços mais altos e menor variedade de comida nos supermercados, pois embora esteja confiante na capacidade do Canadá para produzir e importar comida suficiente, a pandemia está a criar desafios ao sector, desde a falta de trabalhadores a focos de infecção nos funcionários de fábricas do ramo.

Também a Associação Canadiana dos Médicos das Urgências alertou as autoridades de saúde para a necessidade de garantirem o fornecimento adequado de sedativos para as pessoas que necessitam de ventiladores, quer em termos de gestão da distribuição desses produtos, quer ao incentivarem a sua produção no Canadá.

A nível económico, o Banco do Canadá alertou para a possibilidade do declínio causado pelas medidas de contenção da Covid-19 ser o pior na história do país e "causar danos permanentes à economia", mantendo por isso a taxa de juro nos 0,25%, valor abaixo do qual indicou não estar preparado para descer.

A instituição bancária central do Canadá prevê que o "choque económico" seja "profundo e abrupto, mas de curta duração", seguido de uma forte recuperação para a maior parte, mas não todos os sectores da economia.

Ciente do desgaste mental que esta situação e consequente isolamento poderão estar a causar aos cidadãos o governo federal anunciou entretanto o lançamento de um web site dedicado à saúde mental, acessível em: ca.portal.gs.

Enquanto isso a ministra federal da Saúde, Patty Hajdu, informou que o governo iria passar a rever as suas práticas relativas ao equipamento nas reservas nacionais e que esteja perto de atingir ou tenha ultrapassado a data de validade, como foi o caso dos respiradores destruídos antes do começo da pandemia.

Segundo revelou, o governo está a considerar de futuro distribuir equipamento nessas condições às províncias ou a outros países.

No decorrer da última semana a TTC anunciou que o número de funcionários infectados com Covid-19 tinha aumentado para 15, e posteriormente para 19, com dezenas de outros a negarem-se a trabalhar alegando que a gerência não estaria a fazer o suficiente para os proteger.

O Presidente da Câmara de Toronto, John Tory, respondeu às preocupações dos trabalhadores da TTC e garantiu que a autarquia, o departamento de saúde e os funcionários estavam a trabalhar em conjunto por forma a solucionarem o problema.

Já no final da semana o governo do Ontário anunciou um aumento no número de testes da Covid-19 em grupos considerados prioritários, por forma a melhor aproveitar a capacidade de testes entretanto desenvolvida e desde logo "identificar e conter" o número de casos nas populações mais vulneráveis – grupo que inclui funcionários e residentes de centros de abrigo, pessoas que vivem com funcionários do sector da saúde e pacientes com cancro.

O Primeiro-ministro Justin Trudeau anunciou a expansão de um programa de empréstimos a pequenas e médias empresas com folhas de pagamento entre 20.000 e 1,5 milhões de dólares e indicou estarem a trabalhar com os governos provinciais com vista a concederem apoios financeiros durante três meses às companhias que tiverem dificuldade em pagar a renda.

Justin Trudeau alertou para o perigo que representa reatar as actividades económicas demasiado cedo, daí podendo resultar um surto no número de casos que pusesse a perder tudo o que foi conseguido até ao momento.

A seu ver, o reatamento só poderá concretizar-se após se terem realizado numerosos testes e haver um plano de resposta para os casos que possam surgir em eventuais segunda ou terceira vagas de contágio.

Entretanto, com o acordo de limitação de trânsito fronteiriço prestes a terminar e o Presidente americano a sugerir que gostaria de ver as restrições entre os dois países aliviadas com alguma celeridade, Justin Trudeau deixou claro que quanto ao Canadá só daqui por "muitas semanas" será possível fazê-lo e recebeu apoio nesse sentido do Chefe do Governo do Ontário, Doug Ford.

Com o contágio ainda a propagar-se, o Departamento de Saúde de Peel confirmou um surto epidémico no Instituto Correccional do Ontário, assinalando dois ou mais casos na cadeia provincial de Brampton – que o Presidente da Câmara daquela cidade, Patrick Brown, confirmou, indicando envolver três guardas.

Também o Centro de Ciências da Saúde Sunnybrook viria a declarar um surto de Covid-19 numa unidade de cirurgia daquele hospital, indicando que essa secção ficaria encerrada e que os dois pacientes foram tratados com as precauções apropriadas, enquanto que os restantes pacientes apresentaram resultados negativos.

A ministra de Aquisição de Recursos, Anita Anand, veio a público para reforçar que em breve seriam distribuídas pelas províncias mais 1,1 milhões de máscaras N95, pois teriam chegado seis voos com material da China e esperavam-se outros quatro no fim-de-semana.

Segundo a Dra. Theresa Tam, ajustamentos feitos nos modelos de previsão da pandemia apontavam a 21 de Abril para um total de 1200 a 1620 mortes no Canadá e embora o surto esteja a abrandar em termos de novos casos confirmados, a taxa de mortalidade será mais alta do que o esperado devido à elevada proporção de infectados em instituições da terceira idade.

Por seu turno, a Dra. Eileen de Villa, do Departamento de Saúde da Câmara Municipal de Toronto, anunciou que a autarquia deu início ao seu próprio sistema de rastreio de Covid-19 dado a base de dados provincial não estar a dar resposta às necessidades da cidade que, a seu ver, precisava de "um sistema mais ágil".

Na sexta-feira (17) um decreto urgente passou a permitir aos serviços de ambulância do Ontário contratar formandos que ainda não tivessem concluído os seus cursos de ambulância e/ou paramédico, para que possam prestar serviços dentro dos seus níveis de conhecimentos.

Entretanto um sindicato do sector da saúde comunicou o falecimento de uma funcionária de apoio na instituição de serviços para a terceira idade Sienna Altamont Care Community de Scarborough, considerando a situação "uma chamada de atenção" para o perigo que correm os trabalhadores de primeira linha.

Foram também destacados 125 membros das forças armadas canadianas para ajudarem as instituições que prestam cuidados a idosos no Quebeque, e mais de 2300 prisioneiros das cadeias do Ontário foram postos em liberdade numa tentativa de conter a propagação da Covid-19 após terem sido detectados seis casos entre os detidos.

Com as medidas de contenção da doença a afectarem todos os sectores e actividades normais, também a celebração do Dia do Canadá vai ser sujeita a alterações, com planos para uma festa virtual a revelar brevemente pelo governo.

O Senado canadiano, que estava previsto voltar ao activo no dia 21, viu a retoma de funções adiada para 2 de Junho.

O ministro dos transportes federal, Marc Garneau, anunciou um reforço nas medidas de segurança nos aeroportos, com todos os passageiros a serem obrigados a usar uma máscara "não médica", ao mesmo tempo que incentivou "fortemente" todos quantos viajam de autocarro a fazerem o mesmo, "tanto quanto possível".

Nesse sentido, os operadores das linhas de transporte terrestres passam a poder exigir que os passageiros cubram a boca e o nariz quando não lhes for possível manterem a necessária distância.

As companhias canadianas de seguros anunciaram que iriam reduzir os prémios dos seguros comparticipados por empregadores no que diz respeito a serviços de optometrista, dentista e assistência médica prolongada, como forma de ajudarem as pequenas e médias empresas.

A linha aérea Air Transat, tal como já outras haviam feito, anunciou que iria utilizar o subsídio federal de salário para voltar a contratar 4.000 empregados que tinham sido suspensos temporariamente, indicando que iriam receber montantes com base nos seus salários, até ao limite de 847 dólares semanais atribuídos pelo governo.

O Governo do Ontário iniciou uma parceria com as empresas Rogers e Apple para distribuir tablets iPad aos alunos necessitados, para os ajudar com o ensino à distância que é agora uma necessidade devido ao encerramento das escolas.

A nível de Toronto, a Dra. Eileen de Villa atribuiu o número ainda relativamente alto de casos na cidade – comparativamente aos da província em geral – à maior concentração populacional assim como de instituições de terceira-idade.

Apesar de tudo, considera que as estatísticas indicam progresso na contenção da doença, mais uma vez apelando à população para que respeite as medidas de distanciamento social.

Entretanto John Tory classificou este como "um dos maiores desafios financeiros enfrentado pela cidade", salientando que os três meses de isolamento mais seis de recuperação poderão vir a custar um mínimo de 1,5 mil milhões de dólares à autarquia devido, em grande parte, à queda das receitas da TTC.

No sábado (18), enquanto continuava a debater-se quando e em que condições se deveria reatar o trabalho do Parlamento federal, o governo de Justin Trudeau lançou uma campanha publicitária com celebridades e figuras públicas do governo que teve por objectivo amplificar a mensagem sobre a importância de ficar em casa para diminuir a propagação do vírus.

Nesse mesmo dia, um grupo de 13 nações, entre as quais o Canadá e o Brasil, apelaram à colaboração internacional para atenuar o impacto da Covid-19, ao mesmo tempo que declaravam a sua intenção de "trabalhar com todos os países na coordenação da saúde pública, do comércio, das medidas económicas e financeiras e do livre movimento" de pessoas e bens, com vista a uma forte recuperação.

Justin Trudeau anunciou também que as negociações a propósito da reabertura da fronteira com os EUA tinham chegado a bom termo, com a restrição do trânsito "não essencial" a ser prolongada por mais 30 dias.

O premier Ford e o ministro dos Institutos Técnicos e Universidades, Ross Romano, anunciaram uma verba de 20 milhões de dólares para ajudar os pesquisadores médicos da província a descobrirem uma vacina para a Covid-19.

De acordo com um modelo de previsão divulgado pelo governo, o Ontário atingiu o auge das infecções mais cedo do que anteriormente havia sido previsto, facto que foi atribuído à observação das medidas de distanciamento social e de isolamento domiciliário.

O modelo actualizado prevê que o Ontário chegue ao fim da primeira vaga de contágio com 20.000 pessoas infectadas, em vez das 80.000 previstas duas semanas antes quando o pior cenário apontava para até 300.000 pessoas infectadas.

O director executivo do Departamento de Saúde do Ontário, Matt Anderson, disse que se estava até a ponderar voltar a fazer operações sem carácter urgente pois foram canceladas milhares de cirurgias devido à pandemia.

Contudo, as boas novas foram atenuadas pelo aviso de que o número de mortes em instituições da terceira-idade iria continuar a aumentar devido à idade avançada dos residentes e problemas de saúde (co-morbidade).

Entretanto, foi revelado que no centro para refugiados em Willowdale registaram-se 74 casos de Covid-19, após se terem efectuado testes em larga escala durante o fim-de- semana, sendo de notar que grande parte dos que testaram positivo apresentavam poucos ou nenhuns sintomas da doença, o que não os impede de serem portadores.

Foram ainda reveladas estatísticas referentes ao benefício federal CERB que indicavam que até à data tinham sido recebidos 6,73 milhões de pedidos para o subsídio, com quase 20.000 milhões de dólares – dos 24.000 milhões designados para o programa – já concedidos.

O Primeiro-ministro anunciou no início desta semana que o governo iria também ajudar as instituições de caridade canadianas com uma verba de 350 milhões de dólares, destinada a compensar a quebra de donativos que muitas registaram.

Parte do dinheiro destina-se a organizações independentes de menor porte, enquanto que a maior tranche será canalizada para organizações de alcance nacional como a United Way e a Cruz Vermelha.

Justin Trudeau anunciou ainda que as empresas mais afectadas pelas medidas de contenção da Covid-19 poderão começar desde já a candidatar-se ao subsídio salarial que havia sido prometido, salientando que o Departamento das Finanças (CRA, na sigla em inglês) irá disponibilizar uma calculadora online para que as entidades patronais possam determinar quanto irão receber.

Entretanto situações demonstrativas de bom e mau comportamento continuam a suceder-se, com múltiplos exemplos em ambos os casos.

Na terça-feira (21) a Polícia da região de York deu a conhecer a detenção de um homem acusado de tossir no dinheiro que deu a um empregado numa loja ao mesmo tempo que lhe dizia esperar que o adolescente contraísse a Covid-19.

O mesmo departamento revelou ainda que as circunstâncias actuais levaram a uma diminuição significativa no número de crimes na região, mas aumentaram os casos de condução perigosa e de alta velocidade, assim como os incidentes de violência doméstica.

Noutra notícia, a transportadora aérea Air Canada anunciou a suspensão de todos os voos para os EUA até 21 de Maio, na sequência do prolongamento do encerramento fronteiriço entre os dois países.

A WestJet, por seu turno, no que considerou "um último recurso" para ajudá-la a sobreviver às actuais dificuldades, anunciou a suspensão do contrato de trabalho de 1700 pilotos, "em resposta à crise global que tem encerrado as fronteiras".

Já a fabricante de comboios e aviões Bombardier anunciou que no final do mês iria começar a utilizar as suas instalações em Thunder Bay para ajudar a empresa O-Two, de Brampton, a produzir uma encomenda de 18.000 respiradores para o governo do Ontário.

Também o Jardim Zoológico de Toronto tem sido afectado financeiramente pelas medidas de contenção do vírus e recentemente alertou para a sua situação económica que depende das receitas provenientes da venda de bilhetes e do aluguer de estacionamento para alimentar os animais – despesa que ronda um milhão de dólares anualmente.

Enquanto estiver encerrado devido às medidas impostas pelos vários níveis de governo o Zoo de Toronto pretende angariar fundos através da instituição Zoo Wildlife Conservancy.

Entretanto, na terça-feira (21), o Primeiro-ministro Justin Trudeau lamentou que dois aviões enviados à China expressamente para o transporte de equipamento de segurança pessoal para os funcionários de primeira linha do sector da saúde tivessem voltado vazios.

Tratou-se, segundo indicou, de problemas de logística no terreno uma vez que os aviões apenas podem ficar no aeroporto por curtos períodos de tempo, enquanto que o movimento dos produtos na China é dificultado por vários motivos e atrasado pela actividade dos postos de controlo.

Salientando que a luta contra a Covid-19 continua a ser "uma maratona" e por isso está para durar, a directora de saúde do Canadá, Theresa Tam, indicou estar a ponderar com os seus homólogos provinciais a melhor maneira de aliviarem as restrições em torno da contenção da pandemia, incentivando sectores específicos a pensarem em formas inovadoras de voltarem à actividade sem que isso permita o alastramento do vírus.

Segundo o director da saúde do Ontário, Dr. David Williams, o número de novos casos diários de Covid-19 teria de diminuir para menos de metade do actual – 200 ou menos – antes que a economia possa voltar a funcionar.

Para aliviar as dificuldades sentidas por várias organizações, o Primeiro-ministro Doug Ford anunciou o investimento de 11 milhões de dólares no serviço "Meals on Wheels" e noutros programas comunitários de assistência aos idosos pois, como salientou, "temos de tomar conta dos nossos".

Foi ainda anunciada uma verba de 40 milhões de dólares para a aquisição de equipamento de protecção pessoal para grupos comunitários.

Entretanto, os pesquisadores procuram contactar com pessoas que contraíram a doença e já estão curadas para que, através do seu plasma, possam estudar métodos de combater o vírus.

Os interessados em participar poderão obter mais informações e inscrever-se no portal blood.ca/en/convalescentplasma.


Voltar a Sol Português