1ª PÁGINA


Quatro das cinco cidades norte-americanas mais caras são canadianas, revela estudo

Quatro das cinco cidades norte-americanas mais caras situam-se deste lado da fronteira do Canadá com os Estados Unidos, revela um estudo que analisou a relação entre custo de vida e rendimentos auferidos pelas suas populações.

Segundo dados divulgados pela corretora de seguros canadiana PolicyAdvisor. Nova Iorque, nos EUA, e Vancouver (Colúmbia Britânica), Mississauga, Hamilton e Toronto (Ontário) no Canadá, são as cidades mais caras para viver em ambos os países.

O estudo analisou as 10 cidades mais populosas de cada país e comparou o custo médio de oito artigos de necessidade, bens e serviços comuns: um bilhete de cinema, uma refeição num restaurante, uma garrafa de água, um café cappuccino, uma mensalidade do ginásio, um bilhete de ida e um passe mensal nos transportes públicos, e ainda um mês de renda.

Depois de comparar os custos, o estudo avaliou também o rendimento médio dos habitantes de cada cidade.

De acordo com os resultados, Mississauga é a cidade mais cara do Canadá e a segunda maior área metropolitana com uma relação custo de vida-rendimento incomportável na América do Norte.

Além de ter o terceiro sistema de transportes públicos mais caro das 20 cidades estudadas, depois de Nova Iorque e Toronto – com um passe mensal que custa 131 dólares – Mississauga classifica-se também em terceiro lugar nas rendas mais caras do Canadá, depois de Vancouver e Toronto, com uma média de 2.117 dólares por mês.

Contudo, o que torna a cidade muito cara, segundo o estudo, é o salário líquido médio dos seus habitantes que, classificando-se na 17.ª posição entre as 20 cidades, levam para casa uma média de 4.168,70 dólares por mês.

Isto significa que uma pessoa a auferir do vencimento médio e a pagar igualmente o valor médio das rendas, despende praticamente 51% do seu salário líquido nas despesas de habitação.

Em terceiro lugar na lista das cidades mais caras do Canadá e dos EUA surge Vancouver, que ganha "bronze" na classificação de incomportabilidade por muitas das mesmas razões que Mississauga.

A média das rendas em Vancouver é apenas a oitava mais cara das 20 cidades do estudo, mas é a primeira cidade canadiana a surgir nessa lista, precedida por Nova Iorque, San Diego, Los Angeles, San José, Chicago, Filadélfia e Dallas.

A mesma tendência se observa na quarta cidade da lista: Hamilton, no Ontário, que embora tenha custos médios relativamente baixos para comer fora (18,09 dólares) ou para tomar um cappuccino (4,52 dólares), tem uma média de rendas de 1.610,25 dólares, que consome mais de 42% da média salarial líquida dos seus residentes, estimada em 3.824,35 dólares.

Toronto finaliza o top 5 das cidades mais caras da América do Norte, com um sistema de transportes públicos caro – o segundo mais dispendioso, no cômputo geral – e rendas altas (nona posição entre as 20 cidades, com uma média de 2.134,44 dólares, e a segunda cidade mais cara no Canadá).

Isto face ao comparativamente baixo nível de rendimentos auferidos pelos seus residentes, estimado numa média de 5.138,57 dólares, ocupando dessa forma o 13.º lugar na tabela.

Embora o custo dos artigos essenciais possa ser considerado alto no Canadá, em média, as despesas com entretenimento são mais baixas na maioria das cidades canadianas do que nas americanas.

Cidades mais caras dos EUA e Canadá:

Nova Iorque

Mississauga

Vancouver

Hamilton

Toronto

Los Angeles

San Diego

Chicago

Otava

Montreal

Winnipeg

Filadélfia

Phoenix

San José

Brampton

Dallas

San António

Houston

Edmonton

Calgary


Voltar a Sol Português