1ª PÁGINA


36.° Aniversário do Rancho Transmontano pauta pela boa disposição

Por João Vicente
Sol Português

Na presença de um grupo de convidados de honra vindos de Portugal e representantes políticos canadianos, o Grupo Folclórico Transmontano comemorou sábado (18) o seu 36.º aniversário num convívio e actuação que destacaram o prestígio de que este rancho luso-canadiano usufrui de ambos os lados do Atlântico.

O encontro teve apresentação da radialista Fátima Martins e antes de ser servida a refeição dois jovens, Francisco e Guilherme, procederam à oração de graças em inglês e português, após o que se escutaram os vários oradores que no decorrer do serão viriam a elogiar o percurso traçado ao longo de mais de três décadas e meia de actividade por este grupo representativo da etnografia transmontana.

O primeiro a fazê-lo foi o deputado José Cesário que além de congratular o Transmontano pela ocasião especial salientou a crescente preponderância de mulheres em cargos de chefia em vários sectores da sociedade, da política à banca, referindo Ana Costa, que preside ao Grupo Folclórico Transmontano, como um desses exemplos.

Os votos de parabéns foram-se sucedendo ao longo da noite, replicados nas palavras de cada um dos oradores seguintes, incluindo o presidente da Câmara de Ponta Delgada, José Bolieiro, que no seu discurso deu ênfase à determinação e perseverança que são necessárias para manter uma organização como esta no activo durante quase quatro décadas.

Por sua vez, o seu homólogo da Câmara de Tabuaço, Carlos Carvalho, ressalvou o carácter múltiplo da sua região que, "pertencendo ao Douro e sendo beirã, tem também algo também de transmontana", e terminou com uma mensagem especial de apreço pelo trabalho desenvolvido por Ana Costa e pelos elementos do rancho ao longo de todos estes anos.

A deputada federal Julie Dzerowicz, que teve de se ausentar entretanto por motivos de trabalho, deixou à mestre-de-cerimónias uma breve mensagem em reconhecimento da efeméride e um pedido para que fizesse saber que o dia 10 de Junho e o mês de Junho foram reconhecidos oficialmente a nível federal como Dia de Portugal e Mês do Património Português no Canadá.

Em representação do governo provincial, a deputada Cristina Martins deixou congratulações também a título pessoal e transmitiu uma mensagem do ministro das Finanças do Ontário, Charles Sousa, que não pôde estar presente nessa noite.

Por último, a vereadora e vice-presidente da Câmara Municipal de Toronto, Ana Bailão, deixou palavras de apreço à presidente do Transmontano e ao rancho, destacando fazê-lo a título pessoal, como luso-canadiana e a nível político, e realçando o contributo deste grupo não só para o enriquecimento cultural da comunidade e da cultura lusa mas também para a sociedade torontina.

A nível de representantes de colectividades portuguesas, Laurentino Esteves, presidente da Assembleia-Geral da Casa dos Poveiros de Toronto, deixou também uma mensagem de apreço e solidariedade, enquanto que o presidente da Casa das Beiras, Bernardino Nascimento, marcou presença, mas teve de se ausentar mais cedo.

Ao longo das apresentações foram-se trocando ofertas de circunstância, relembrando-se por fim o papel desempenhado pelo falecido comendador e professor Damião Patacho Costa e a esposa, a professora Virgínia – pais de Ana Costa – na fundação deste projecto.

Entretanto a responsável pelo rancho explicava à nossa reportagem algumas das dificuldades com que se debatem, especialmente numa altura em que atravessam uma fase difícil de transição, com vários membros a saírem, por razões várias, alguns sem sequer avisarem nem devolverem as roupas que pertencem ao grupo.

Urge repor os elementos que faltam, diz Ana Costa, ao explicar que presentemente contam apenas com a secção infanto-juvenil.

No entanto, a fundadora continua a lutar por manter este grupo vivo e de saúde, tendo encetado um esforço em procurar novos elementos sem os ir buscar a outros ranchos.

É uma tarefa difícil, mas que Ana Costa abraça com um redobrado sentido de dever e dedicação, inspirada na memória do pai e em todo o tempo e esforço dedicado pela família e pelos voluntários deste grupo ao longo dos anos.

O esforço parece estar a dar resultados e nessa noite actuaram já com mais um elemento novo.

A festa fechou com chave de ouro quando à actuação do rancho se juntaram a certa altura os convidados de honra envergando chapéus típicos, assim como Ana Bailão e Paula Medeiros numa das interpretações folclóricas mais divertidas e bem humoradas que já se viu.

Observar estes políticos, normalmente de aspecto reservado e soturno, a tentarem acompanhar os jovens nas voltas e reviravoltas das danças, ostentando sorrisos de alegria, foi um bálsamo momentâneo para quaisquer problemas que este grupo atravesse.

O repto estava lançado e por fim também o autarca de Tabuaço cedeu à pressão que lhe vinha sendo posta e interpretou duas canções com voz suave e segura que mereceram o aplauso do público, seguindo-se então música para dançar até ao final da noite.

Inaugurado em 1981 numa brincadeira da escola de português, este é o único grupo folclórico transmontano no Canadá, tendo já actuado em vários municípios de Portugal.

O grupo conta com elementos oriundos de várias regiões de Portugal, como nos explica Ana Costa, que disponibilizou o seu contacto telefónico (905-279-2257) para quem estiver interessado em participar neste projecto etnográfico.


Voltar a Sol Português