1ª PÁGINA


25 de Abril:

Presidente da República condecorou 30 militares de Abril com a Ordem da Liberdade

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou quarta-feira (24) com a Ordem da Liberdade 30 militares da "revolução dos cravos" na abertura solene das comemorações do 50.º aniversário do 25 de Abril de 1974.

A cerimónia decorreu no Pátio da Galé, em Lisboa, na qual participaram também o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa, entre outras figuras da política nacional, marcando o início das comemorações dos 50 anos desta data.

Dos trinta militares condecorados com a Ordem da Liberdade, no grau de Grande-Oficial, a maioria é do Exército e nove receberam esta condecoração a título póstumo.

Entre os condecorados está o já falecido Capitão de Mar-e-Guerra José Júlio Neto Abrantes Serra que tomou o Forte de Caxias, onde estavam os presos políticos, e o coronel Armando Marques Ramos, que participou na tentativa de golpe das Caldas da Rainha, em 16 de Março de 1974.

A Ordem da Liberdade destina-se a distinguir serviços relevantes prestados em defesa dos "valores da civilização, em prol da dignificação da Pessoa Humana e à causa da Liberdade".

A abertura solene das comemorações do 50.º aniversário do 25 de Abril arrancou pontualmente às 17:00, logo depois da chegada das três primeiras figuras do Estado: o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa.

Na plateia, estavam os chefes militares dos três ramos das Forças Armadas, muitos ministros do actual Governo, o presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço, conselheiros de Estado, representantes dos parceiros e dos partidos políticos.

Em entrevista à agência Lusa a semana passada, o comissário executivo da Estrutura de Missão para as Comemorações, o professor universitário e sociólogo Pedro Adão e Silva, questionado sobre o papel que vão assumir os militares da Associação 25 de Abril nas comemorações, assegurou que esta entidade vai estar envolvida em várias iniciativas, sendo a primeira, a condecoração destes militares de Abril.

"A escolha [dos militares condecorados] foi articulada entre a Associação 25 de Abril e a Presidência da República. Tenho partilhado com o coronel Vasco Lourenço – e ele comigo – várias ideias sobre a concretização de iniciativas. Já no dia 1 de Abril, faremos uma homenagem, que tem várias dimensões, a um dos símbolos do 25 de Abril, que é Salgueiro Maia – e essa homenagem também vai envolver a Associação 25 de Abril", revelou.

Em 2021, Marcelo Rebelo de Sousa anunciou que iria condecorar todos os militares do 25 de Abril de 1974 até aos 50 anos da revolução.

Receberam esta condecoração os militares: Tenente-General Aníbal José Rocha Ferreira da Silva, Major General Adelino de Matos Coelho, Major General Alfredo Manuel da Costa Horta, Major General António José Afonso Lourenço, Major General Arnaldo José Ribeiro da Cruz, Major General Fernando Pereira dos Santos Aguda, Coronel Albino Luís Ferreira da Cal, Capitão de Mar-e-Guerra Alcindo Ferreira da Silva e o Coronel Almor Alves Serra.

Também foram homenageados: Coronel Américo José Guimarães Fernandes Henriques, Coronel Aníbal Benjamim Carvalho Soares, Coronel António Afonso Gonçalves, Coronel António Joaquim Machado Ferreira, Coronel António Raúl da Purificação Morgado, Coronel Armando Marques Ramos, Coronel Carlos Alberto da Silva Pinto e Simas, Coronel Delfim de Sousa Campos Moura, Coronel Fernando Góis Moço, Coronel Nuno dos Santos Ferreira, Tenente-Coronel Fernando Celso Martins Cardoso do Amaral e o Major Alberto Nuno Lara Ponces de Carvalho.

A título póstumo receberam esta condecoração: o Capitão Amílcar Carlos Rodrigues, o Capitão António de Sousa Santos Júnior, Coronel Manuel Teixeira Gil, Capitão de Mar-e-Guerra José Júlio Neto Abrantes Serra, Coronel José Augusto Correia Pombinho, Coronel Fernando Hugo Franco Bélico de Velasco, Coronel António Manuel Rocha das Dores, Coronel Aníbal José Carriço Albuquerque e o Tenente-General António Alberto da Palma.


Voltar a Sol Português