CANADÁ EM FOCO


Canadiana detida na fronteira com EUA acusada de enviar carta com rícino para a Casa Branca

Pascale Ferrier, uma cidadã canadiana, foi detida no passado fim-de-semana ao tentar entrar nos Estados Unidos da América (EUA) sob acusação de ter enviado cartas com rícino, um veneno potentíssimo de origem vegetal, para a Casa Branca, em Washington, e outras localidades.

Na segunda-feira (21) a Real Polícia Montada Canadiana (RCMP, na sigla em inglês) efectuou uma busca a um condomínio em Saint Hubert, na margem sul de Montreal.

A operação envolveu agentes policiais e ambulâncias em apoio a uma equipa da RCMP especializada no manuseamento de produtos químicos e explosivos, e decorreu após após terem sido evacuadas as residências vizinhas.

Segundo Charles Poirier, porta-voz da RCMP, esta intervenção destinou-se a ajudar a polícia federal americana (FBI) na sua investigação, dado existir uma ligação entre a mulher detida na fronteira e a residência, que estava sob investigação das autoridades assim como várias outras no estado do Texas.

Pascale Ferrier, de 53 anos, viveu nos EUA o ano passado e já havia sido detida no Texas em Março de 2019 por conduzir com uma carta de condução falsa, segundo a documentação do tribunal – embora o registo prisional faça referência também a posse de arma.

Na ocasião a desenhadora gráfica e programadora de portais Web declarou-se inocente e a sentença foi eventualmente anulada por se tratar do seu primeiro crime e por já ter passado 20 dias na cadeia, sendo subsequentemente deportada para o Canadá quando as autoridades constataram que o seu visto de permanência nos EUA já tinha expirado.

Detida no fim-de-semana quando tentava atravessar a "Ponte da Paz", que liga Fort Erie, no Canadá, a Buffalo, no estado de Nova Iorque, a réu é acusada de enviar várias cartas com rícino para diferentes endereços nos EUA.

Uma delas foi interceptada numa instalação do governo americano que inspecciona o correio endereçado à Casa Branca e ao presidente dos EUA, Donald Trump, tendo a investigação preliminar indicado a presença de rícino.

Alegadamente, Pascale Ferrier enviou também cartas para o gabinete do Xerife e o centro prisional de Mission, no Texas, onde esteve detida o ano passado.

O xerife Eddie Guerra viria a confirmar através do Twitter que tanto ele como três outros funcionários do centro prisional tinham recebido envelopes com aquela substância.

O rícino é uma substância tóxica extraída do carrapateiro – também conhecido por mamona – e pode ser mortífero se ingerido, mesmo em pequenas quantidades.


Voltar a Canadá em Foco


Voltar a Sol Português