1ª PÁGINA


Porto de Honra com celebração de
Missa no clube e içar das bandeiras

CCPM comemora 47.º aniversário em ano difícil para a direcção

Por Luís Aparício

Sol Português

O Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM) iniciou no domingo (21) a comemoração do seu 47.º aniversário com o simbólico Porto de Honra e a tradicional cerimónia do hastear das bandeiras em frente à sede do clube.

Foi um momento de orgulho para a associação, mas que não apaga a tristeza de um ano que viu partir dois directores e o presidente da colectividade, Tony de Sousa, este último falecido em Maio, vítima de cancro, depois de sete anos à frente do CCPM.

Durante a missa que antecedeu o içar das bandeiras, que há muito faz parte do arranque das celebrações do aniversário, o padre Fernando, de Oakville, sublinhou que a pandemia de Covid-19 veio mostrar que é importante as pessoas terem a consciência de que os problemas apenas se resolvem com harmonia e paz.

Na sua homilia, o prelado incentivou os dirigentes do clube a manterem o espírito de fraternidade e de entreajuda para continuarem a levar a missão do associativismo português a bom porto.

Jorge Mouselo, que desempenhava o cargo de vice-presidente e assumiu a presidência do CCPM após o falecimento de Tony Sousa, como previsto nos estatutos do clube, não escondeu a emoção ao falar do momento que a direcção enfrenta actualmente.

"Custa a acreditar, mas é com o vosso apoio e com a vossa dedicação, sócios e amigos desta casa, que a gente vai para a frente", enfatizou.

Apesar deste momento difícil, Jorge Mouselo disse sentir-se "muito feliz" por ver uma boa moldura humana na manhã de domingo, sinal de que "os sócios e amigos desta casa levam isto a sério", o que, reforçou, lhe dá "mais força para continuar e não deixar morrer estas tradições".

Também para Gilberto Moniz, presidente da Assembleia-Geral, as celebrações deste ano têm um misto de alegria e tristeza devido à partida dos três dirigentes do CCPM, no entanto mantém-se pragmático face à realidade já que, como destaca: "a vida continua", fazendo questão ainda de "dar os parabéns à Luísa de Sousa [viúva do falecido presidente] pela força que tem em se manter aqui no clube e ajudar a gente".

Já a olhar para a frente, Gilberto Moniz diz que o clube espera ainda poder realizar a sua tradicional festa de passagem de ano, se os números da Covid-19 e as autoridades assim o permitirem, e mostrou-se esperançado de que o próximo ano marque o fim da pandemia e traga uma certa normalidade ao calendário de actividades do clube.

Deixou entretanto "um apelo especial à juventude do clube, porque [os jovens] são o futuro de amanhã", pedindo-lhe para que se envolvam mais nas actividades culturais do CCPM porque, como salientou, os directores estão a envelhecer e precisam deles.

Gilberto Moniz adiantou ainda que o clube vai escolher novos corpos directivos durante as próximas eleições, marcadas para o início do ano, a 30 de Janeiro.

Nestas cerimónias esteve presente a presidente da Casa dos Poveiros de Toronto, Linda Correia, que indicou ter vindo para dar os parabéns à Direcção do CCPM e entregar uma pequena lembrança.

Logo após o almoço para os sócios da colectividade houve ainda um espectáculo com entretenimento a cargo do artista luso-canadiano Tony Câmara.

Amanhã, sábado (27), o CCPM dará continuidade às comemorações com a realização do jantar de aniversário, evento que segundo os responsáveis tem já lotação esgotada e inclui a actuação da banda Sagres.


Voltar a Sol Português