1ª PÁGINA


19 anos da Associação Migrante de Barcelos

De clube desportivo a colectividade social

Por João Vicente
Sol Português

Fundada em 1998, a Associação Migrante de Barcelos (AMB) começou inicialmente por reunir adeptos do Gil Vicente e constituir uma equipa homónima em torno do seu interesse comum pelo futebol.

Foi, como nos confirmou o presidente da colectividade, Victor Santos, a primeira filial do Gil Vicente FC de Portugal, clube que continuam a representar com orgulho, mais recentemente com uma escola de futebol num projecto que arrancou há cerca de um ano e mobiliza cerca de uma centena de crianças assim como muitos voluntários.

Ao longo dos anos, e ao mesmo tempo que foram somando sucessos desportivos, foram também tomando consciência da importância de preservarem e divulgarem as tradições e a cultura da região de Barcelos e do Baixo Minho.

Constituíram assim dois ranchos folclóricos, um adulto e um juvenil, que obedecem às estipulações da Federação do Folclore Português como representantes fidedignos da etnografia da região.

Segundo Victor Santos, só existe um outro rancho federado no Canadá e o esforço necessário para atingir esse patamar e manter esse estatuto "valeu e vale a pena" e é motivo de orgulho para os barcelenses pois enriquece o panorama folclórico das comunidades lusas do sul do Ontário.

Congratula-se sobretudo por verificar que todas as sextas-feiras, que é quando decorrem os ensaios, vai aparecendo cada vez mais gente interessada, nomeadamente muitos dos pais dos membros mais novos que fazem parte do rancho juvenil e que, como nos diz, "começam eles próprios a dançar e a participar".

Actualmente a sua sede, sita ao 2079 da Dufferin Street, é um ponto de encontro e de confraternização onde o futebol, que já não é a sua única razão de ser, continua a ocupar lugar privilegiado, não só nas paredes forradas a troféus e recordações, mas também como um passatempo que reúne amigos e familiares em torno do ecrã, a torcer pelos seus favoritos.

Foram estes 19 anos de actividade que os barcelenses comemoraram no passado fim-de-semana, primeiro com um Porto de Honra na sua sede, na noite de sexta-feira (20), culminando no sábado (21) com um jantar de gala e festa no salão nobre da LIUNA Local 183.

Victor Santos, que há dois anos preside à AMB, acolheu os sócios e simpatizantes do clube que se deslocaram até à sede para participarem no Porto de Honra, destacando a presença da deputada provincial Cristina Martins e da vice-presidente da Câmara Municipal de Toronto, Ana Bailão, assim como do ex-presidente da colectividade, Licínio Silva.

Após agradecer o trabalho da Direcção e dos voluntários que tornaram possível esta comemoração, passou a palavra à presidente da Assembleia-Geral, Maria Helena Martins, que por sua vez, elogiou o trabalho das várias secções do clube e a forma como têm trabalhado juntas, deixando uma palavra especial de apreço a Ana Bailão pelo que considerou a sua dedicação à comunidade lusa e aos assuntos que a tocam.

Na sua alocução, Cristina Martins destacou a importância do trabalho voluntário e o empenho e dedicação que são necessários para que se possa dar continuidade à colectividade nas suas várias facetas, tanto no futebol como no folclore, como na promoção cultural.

Por isso mesmo fez questão de recordar que está na altura de enviarem as candidaturas para os prémios de voluntariado da província do Ontário antes de terminar com uma mensagem oficial do governo a destacar a contribuição da AMB para o enriquecimento do tecido multicultural desta província.

Entretanto, e ao convocar Ana Bailão a pronunciar-se, Victor Santos começou por "chamar a vice-presidente da Câmara de Toronto", pausando antes de acrescentar tentativamente: "a futura presidente da Câmara de Toronto", o que desprendeu sorrisos e mereceu uma forte ovação do público.

"Às vezes o tempo passa a correr mas nestas ocasiões convém sempre reflectir no trabalho que foi feito ao longo [destes anos] por voluntários, pelas direcções que passaram, porque é tudo isto, é este trabalho que constrói uma casa", afirmou Ana Bailão antes de ressaltar a importância desse trabalho para as gerações futuras.

Reflectindo sobre a importância da diversidade, considerou-a uma das melhores qualidades do Canadá, algo que se deve "às comunidades que aqui tem, comunidades como a nossa", destacou, lembrando que "quando dizemos que este é um país muito bom e do qual nos orgulhamos muito, temos sempre que pensar que também nós, a nossa comunidade, contribui para o que o Canadá é no mundo",

Ana Bailão terminou a sua alocução com a leitura do certificado que emitiu conjuntamente com o presidente da Câmara, John Tory, e no qual dão os parabéns à AMB pelo aniversário.

Linda Correia, presidente da Casa dos Poveiros de Toronto, encerrou os discursos dirigindo breves palavras de apreço pelo trabalho da colectividade barcelense, desejando-lhe parabéns e deixando um voto de confiança na Direcção e de encorajamento para que "continuem o bom trabalho".

Seguiu-se uma foto de grupo e o brinde com vinho do Porto, após o que se passou aos petiscos.

Presente também neste Porto de Honra esteve Ziko Pereira, que foi o mestre de cerimónias do jantar de gala que decorreu no sábado.

Além da actuação dos dois ranchos da casa, as cerca de 800 pessoas presentes puderam ainda assistir ao grupo 6KG que apresenta dança k-pop, à dançarina de ballet Ashley Maia e à Karma Band, que pôs toda a gente a dançar.

Segundo o calendário de actividades, a festa de São Martinho, que irá decorrer a 11 de Novembro na Igreja de São Mateus, com menu apropriado à ocasião – incluindo rojões à moda de Barcelos, papas de serrabulho e castanha assada – será o próximo evento da AMB.


Voltar a Sol Português