1ª PÁGINA


Semana Cultural Beirã 2019:

Tons, sabores e sons das beiras em destaque em Toronto até amanhã

Por João Vicente
Sol Português

"Silêncio, que se vai cantar o fado" serão as palavras de ordem esta noite, sexta-feira (27), na Casa das Beiras de Toronto (CBT), no decorrer de um serão musical dedicado à canção nacional e inserido na edição 2019 da Semana Cultural Beirã.

Desde sábado (21) que o certame está a decorrer e tem vindo a animar esta colectividade com os tradicionais sabores, cores e sons das três regiões portuguesas que colectivamente partilham a designação de Beiras – Alta, Baixa e Litoral.

A edição deste ano registou a visita de uma comitiva portuguesa que integrou a vereadora da Educação e da Cultura, e vice-presidente da Câmara de Leiria, Anabela Graça, o presidente da Junta de Freguesia de Caranguejeira, Joaquim Mónico, assim como o Rancho Folclórico dos Soutos - Caranguejeira e o cantor Dinis Brites.

A par deles, destaque também para a presença de um chefe de cozinha, Luís Almeida, do Palace Restaurante, de Viseu, que foi responsável pela elaboração da ementa e a confecção dos pratos regionais que os visitantes têm oportunidade de degustar diariamente durante o certame.

"Sinto-me um pouquinho cansado porque dá muito trabalho, mas ao mesmo tempo feliz porque vejo a aderência das pessoas aos nossos eventos", afirmou o presidente da CBT, Bernardino Nascimento, em declarações à imprensa pouco antes de dar por inaugurada a edição deste ano do certame.

Embora ouse dizer-se que "quem corre por gosto não cansa", eventos deste género e desta envergadura põem à prova a força e a determinação das equipas de voluntários que os tornam possíveis.

Daí que durante a última reunião Bernardino tenha confidenciado aos colegas da Direcção que "é preciso ter `pancada' para perdermos tantas horas aqui dentro a fazer isto", ainda que, como explicou à nossa reportagem, o façam "com amor à camisola", acrescentando: "adoro este grupo de voluntários que temos a trabalhar aqui".

O presidente da colectividade beirã destacou ainda que se nota actualmente mais envolvimento por parte dos jovens, o que é motivo de regozijo pois demonstra o seu interesse, mas ainda assim continua a aguardar que surja um mais afoito que queira tomar as rédeas da Direcção.

Várias entidades oficiais viriam a distinguir a abertura desta Semana Cultural com a sua presença, nomeadamente o embaixador de Portugal no Canadá, João Câmara, e o cônsul-geral de Portugal em Toronto, Rui Gomes, assim como a vereadora e vice-presidente da Câmara Municipal de Toronto, Ana Bailão.

A lista de entidades visitantes incluiu também Julie Dzerowicz, deputada federal eleita por Davenport, onde reside a maior proporção de portugueses de qualquer das circunscrições canadianas, e o candidato Conservador a concorrer no distrito, Sanjay Bhatia.

Para João Câmara, foi com "orgulho como embaixador" de Portugal no Canadá que elogiou a "energia, vitalidade e vontade de fazer coisas" que foi demonstrada de forma "notável" pelos organizadores do evento.

"Isso é muito importante porque", como continuou, "nós só existimos como comunidade na medida em que somos percepcionados como tal pelas autoridades de acolhimento e são estes momentos que fazem com que a comunidade se afirme e identifique".

Por seu turno, o cônsul Rui Gomes destacou a importância de celebrar e incentivar as associações que realizam este género de actividades, para que "floresçam [e] cativem cada vez mais pessoas, mais jovens, porque", como ressalvou, "o nosso património também cada vez é mais valorizado".

Segundo o diplomata, isso ajuda-nos a preservar as características únicas que nos definem como portugueses, num mundo cada vez mais homogeneizado devido aos efeitos da globalização.

Não só os convidados de estirpe diplomática como os da classe política e os representantes da comitiva de Portugal teriam oportunidade de se dirigirem ao público, sendo para isso convidados pela mestre-de-cerimónias, a radialista Fátima Martins, da emissora CHIN, que esteve encarregada da apresentação do programa dessa noite.

Para além de recordar a sua passagem pelas Beiras, há dois anos, e de agradecer as recomendações dos locais a visitar que lhe disse terem-lhe sido feitas pelos seus amigos da Casa das Beiras, a deputada Julie Dzerowicz viria a destacar, numa referência às eleições federais que se realizam em Outubro, que votar "é a melhor forma de honrar aqueles que vieram para o Canadá à procura de oportunidades e de liberdade quando fugiram da ditadura" em Portugal.

A vereadora Ana Bailão, que incentivou igualmente os portugueses a expressarem-se nas eleições através do voto, lembrou que "já muitas pessoas têm filhos e netos que nascem aqui", pelo que "estas semanas culturais dão sempre uma oportunidade para continuar a ensinar e a expor os mais novos à gastronomia, música e tradições de Portugal", enquanto que "os que já têm bom conhecimento disso podem rever e relembrar".

Também os edis visitantes teriam oportunidade de se dirigir ao público, a começar pela autarca Anabela Graça que deu a conhecer a existência de uma cena cultural activa no concelho de Leiria.

Como salientou, além de muitas outras associações e colectividades, existem 23 ranchos e 11 filarmónicas no concelho, referindo ainda alguns dos intercâmbios culturais que mantêm com, por exemplo, cidades geminadas como Maringá, no Brasil, e Tokosjima, no Japão.

Quanto a Joaquim Mónico, referiu com orgulho que só na freguesia da Caranguejeira, com cerca de 6.000 habitantes, existem 12 associações que abrangem todo um leque de actividades – desde atletismo a cavaquinhos e marchas – uma banda filarmónica com 50 elementos e um conservatório de música "devidamente oficializado".

Existem também dois ranchos folclóricos, um deles o dos Soutos, que celebra 50 anos de actividade em 2020 e que aqui se deslocou liderado pela presidente da Associação Recreativa e Cultural dos Soutos – Caranguejeira, Oriana Cristóvão, que já há três décadas faz parte do grupo.

Esta não é a primeira vez que o presidente da Junta de Freguesia da Caranguejeira vem ao Canadá, onde em 2000 participou nas comemorações do Dia de Portugal com a filarmónica da sua terra – além de que é irmão do Padre João Mónico, que foi pároco da igreja de Santa Inês em Toronto – mas é a primeira vez para o rancho de Soutos o que, segundo Oriana Cristóvão, implica uma logística mais difícil, mas ainda assim foi possível trazer 37 dos 43 elementos no activo.

"Esta saída teve mais impacto porque normalmente deslocamos-nos mais na zona da Europa – Itália, Croácia e França. assim como as ilhas dos Açores e da Madeira", explica a líder e porta-voz do rancho.

Segundo Joaquim Mónico, durante dois ou três anos observaram uma ligeira diminuição em termos de participação e de adesão ao folclore na freguesia, mas agora nota-se um ressurgimento.

No decorrer deste serão de abertura da Semana Cultural viria ainda a registar-se uma troca de ofertas entre os dirigentes da colectividade beirã e os seus convidados, após o que foi servida a refeição preparada pelo chefe Luís Almeida que, subsequentemente, viria a tecer alguns comentários acerca da sua carreira, desta visita ao Canadá e da ementa que tem estado a apresentar.

A componente de entretenimento seria então inaugurada com a actuação do Rancho Folclórico dos Soutos, que ao longo de quase uma hora divertiu o público com temas típicos da sua região, pautando pela energia e alegria da sua apresentação.

O penúltimo tema que os dançarinos interpretaram foi uma dança geral, para a qual foram convidados a juntarem-se ao rancho elementos do público, antes de fazerem a sua despedida para essa noite – voltariam a actuar na terça-feira (24), noite dedicada aos patrocinadores.

O espectáculo, que teve som e luzes a cargo de Steve Ferreira, da 5 Star Productions, viria a terminar com a actuação do cantor Dinis Brites, que já integrou o rancho na sua juventude e nessa noite voltou a dar uma ajuda como músico.

O artista demonstrou os seus dotes de cantor popular, puxando de imediato o público para a pista de dança e mantendo o ambiente animado até ao final da noite.

O programa de actividades tem estado a decorrer ao longo de toda a semana e no domingo (22) o folclore esteve em destaque num festival que contou com actuações do rancho convidado e dos grupos folclóricos da Nazaré de Mississauga, do Arsenal do Minho, da Associação Migrante de Barcelos e da Associação Cultural do Minho de Toronto, assim como do rancho da casa, o Académico de Viseu.

Entretanto, na segunda-feira (23) comemorou-se o aniversário da Confraria Saberes e Sabores "Grão Vasco" da Casa das Beiras de Toronto, celebração que contou com a actuação do Duo Raça Latina, enquanto que depois da Noite dos Patrocinadores, na terça (24), na quarta-feira (25) a Festa da Sopa marcou outro momento alto do certame, animado desta feita pelo violinista Grenville Pinto.

A noite da juventude foi assinalada ontem, quinta-feira (26), com cocktails à base do tradicional Licor Beirão, ficando os espectáculos a cargo da So Dance Studios, de Ashley Maia, e Flávio e Rui Pedro.

Já na recta final do evento, esta noite, sexta-feira (27), o fado é rei num espectáculo de referência organizada por João Brito.

Para além do próprio, o elenco artístico regista ainda a actuação de Jenniffer Bettencourt – sendo ambos acompanhados musicalmente por Manuel Moscatel, Januário Araújo e João Carlos Silva – enquanto que a cabeça de cartaz, Célia Leiria, vinda de Portugal, traz consigo os músicos Mário Pacheco e Bernardo Saldanha.

O encerramento oficial desta Semana Cultural Beirã será assinalado amanhã, sábado (28), altura em que se espera a presença do deputado da Assembleia da República José Cesário e o programa regista a actuação dos sempre populares conjunto Mexe-Mexe e Henrik Cipriano.


Voltar a Sol Português