1ª PÁGINA


Noite de gala marca 21.º aniversário dos Amigos de Rabo de Peixe do Ontário

Por Jonathan Costa
Sol Português

A Associação dos Amigos de Rabo de Peixe do Ontário (AARPO) celebrou no último sábado (21) o seu 21.º aniversário com um jantar de gala e espectáculo que juntou mais de 700 pessoas no salão de festas Gerry Gallagher da LIUNA Local 183.

A cerimónia teve apresentação de Fátima Pinheiro, ex-presidente da associação, que conduziu o serão com elevado sentido de humor, provocando diversas vezes a hilaridade geral.

Após a abertura oficial do encontro, que contou com uma interpretação ao vivo dos hinos português e canadiano pela jovem de descendência rabopeixense Courtney, foi observado um minuto de silêncio em memória dos membros falecidos antes de se dar início ao jantar.

Em torno das mesas espalhadas pelo salão de festas, centenas de caras sorridentes desfrutavam dos sabores e aromas da gastronomia açoriana e portuguesa numa bonita imagem de convívio e confraternização simbólica do espírito de união da comunidade rabopeixense.

A isso aludiriam vários dos oradores que foram convidados a pronunciar-se ao longo da noite, bem como os dirigentes com quem tivemos oportunidade de conversar, incluindo a vice-presidente da AARPO, Nina Gouveia, que considerou "um orgulho ver o impacto que a nossa pequena freguesia nos Açores tem neste país e em muitas outras comunidades espalhadas pelo mundo".

Como destacou à nossa reportagem: "temos muito orgulho nas nossas raízes e na nossa cultura" e "esta noite não podia ser mais perfeita, ao celebrarmos este 21.º aniversário neste dia 21 de Setembro com a casa cheia".

Artur Macedo, tesoureiro da AARPO, foi o primeiro a discursar em palco, expressando simultaneamente um agradecimento "a todos os que tornaram esta noite possível e que representam a nossa cultura e as nossas tradições ao mais alto nível", e um desafio para que "nunca percam esse orgulho pela nossa terra, pela nossa gente e pela nossa cultura".

Presente neste convívio esteve a delegação de uma organização rabopeixense homóloga, a Associação dos Amigos de Rabo de Peixe de Nova Inglaterra, EUA, que se encontrava ali representada por mais de 20 elementos.

Em declarações ao jornal Sol Português a propósito desta deslocação ao Canadá, o seu presidente, José Andrade, indicou ser "sempre um orgulho receber um convite desta associação incrível, para podermos conviver com os nossos irmãos canadianos", elogiando o esforço feito para a realização deste evento anual.

"Ao todo somos mais de 70 membros, mas não foi possível trazermos todos", realçou o dirigente da organização luso-americana, adiantando que os seus homólogos luso-canadianos "estão de parabéns" e merecem um "obrigado por tudo o que fazem pela nossa cultura", afirmou à nossa reportagem.

Pouco depois José Andrade teria oportunidade de o repetir publicamente em palco onde, para além de deixar "um grande obrigado por este convite" lançou um desafio: "Não podemos perder esta união e ligação entre nós, rabopeixenses do mundo, porque é este orgulho pela nossa cultura que nos torna mais fortes".

Seguiu-se-lhe Manuel Estrela, um dos fundadores da associação de Nova Inglaterra, que foi recebido com fervorosos aplausos e carinho por parte do público.

Como realçou, "é sempre um prazer poder vir ao Canadá, celebrar com a nossa gente tudo o que há de melhor da nossa terra "natal", adiantando que "há uns anos, nunca pensámos que fosse possível unir tanta gente" num convívio, o que considerou um "trabalho fantástico" e pelo qual "a associação do Ontário está de parabéns".

Renata Brum, ex-juíza de imigração e actual consultora jurídica neste sector, foi a convidada de honra dessa noite e a si pertenceu o último discurso, que aproveitou para agradecer o que considerou um "gesto especial" salientado ser "uma honra" poder estar ali a celebrar com os seus conterrâneos.

"Vim com os meus cinco filhos e toda a minha família porque quero que eles entendam a importância que esta cultura tem na minha vida e na minha identidade", afirmou a homenageada, que prometeu "continuar a representá-la da melhor maneira possível" ao dar por concluído um discurso durante o qual foi muito aplaudida e acarinhada pelo público.

Concluídas as formalidades, o serão passou para o domínio de Henrik Cipriano e da banda Mexe Mexe que de imediato levaram dezenas à pista de dança e que num espectáculo pautado pelo humor e a animação mantiveram o público rendido às suas interpretações repletas de energia e ritmo, dando por terminadas estas comemorações do 21.º aniversário da AARPO.


Voltar a Sol Português