1ª PÁGINA


Prémio Community Spirit 2017

Empresário da comunicação social e comendador, Frank Alvarez foi alvo de uma homenagem que decorreu no Centro Cultural Português de Mississauga

Por Pricy Barros e Noémia Gomes
Sol Português

O empresário e comendador Frank Alvarez foi o vencedor deste ano do Community Spirit Award, prémio que lhe foi entregue durante um jantar de homenagem no Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM), no passado sábado (22), e que atraiu grande número de políticos e destacados elementos do sector empresarial e laboral luso-canadiano.

Segundo o comité responsável pela selecção foi uma decisão "unânime", como referiu a mestre-de-cerimónias dessa noite, Lena Barreto, destacando que se trata de um prémio que é atribuído anualmente a alguém "que tenha contribuído para o desenvolvimento da cultura portuguesa, língua, integração social, desenvolvimento dos jovens e para a promoção da tolerância e compreensão".

Neste âmbito, Frank Alvarez foi destacado como fundador da emissora multicultural CIRV-FM, em 1986, bem como alguns anos depois da FPTV, assim como pela sua actividade em apoio a "causas sociais, tais como a angariação de fundos para as vítimas das cheias na Madeira, a maratona radiofónica para a Worldvision, angariação de fundos para a América Central e Sul após o furacão Mitch", e outros.

Destaque foi dado também à mais recente campanha que através das suas estações promoveu a favor da Luso-Canadian Charitable Society (LCCS) com vista à construção de um novo centro para deficientes na região de Peel.

Antes do jantar o monsenhor Eduardo Resendes procedeu à oração de graças e proferiu algumas palavras, recordando ainda outro comendador da comunidade portuguesa no Canadá, José Mário Coelho, já falecido mas que durante décadas foi destacado radialista da emissora CIRV.

O primeiro orador convidado a pronunciar-se foi o deputado federal Peter Fonseca que na sua referência ao homenageado destacou o prestígio de que desfruta na comunidade portuguesa, indicando tratar-se "não só de um líder, como de uma pessoa que tenta ajudar a comunidade em todos os seus sectores" e que "quando vê e sente a paixão e o sonho de alguém, rapidamente apoia essa pessoa".

Por seu turno, o ministro das Finanças do Ontário, Charles Sousa, lembrou a importância dos valores familiares para os portugueses, indicando ter "grande orgulho nos líderes da nossa comunidade" e destacando Frank Alvarez "por nos dar coragem para seguirmos em frente".

Também a deputada provincial Cristina Martins se viria a pronunciar, adiantando que "a nossa comunidade precisa de mais" pessoas como o homenageado – o qual louvou pelo seu trabalho árduo e dedicação que o tornaram "um ícone" da comunicação social reconhecido pelo governo – ao mesmo tempo que ressalvava a sua contribuição para obras beneficentes e caritativas.

No decorrer do jantar foram-se pronunciando outros políticos, incluindo a presidente da Câmara de Mississauga, Bonnie Crombie, que destacou e elogiou a iniciativa de homenagearem o comendador considerando entre os seus grandes contributos o importante apoio dado à construção do novo centro para deficientes da LCCS, que irá servir as comunidades da região de Peel, incluindo as cidades de Mississauga e Brampton.

De Brampton veio também a presidente da Câmara, Linda Jeffrey, assim como o vereador Martins Medeiros que foi convidado a pronunciar-se e que, entre os vários louvores que teceu ao homenageado, salientou o apoio que este deu à campanha para a construção do novo hospital Peel Memorial.

"Contribuiu muito, principalmente para o Memorial Hospital", esclareceu Martin Medeiros, ressalvando que foram recebidas "muitas doações" por parte da comunidade portuguesa e que "isso aconteceu justamente por ter o apoio do comendador".
Melhor que ninguém, Manuel Alexandre, que preside ao grupo Amigos Portugueses do Peel Memorial – organismo que foi o impulsionador das campanhas de angariação de fundos para as obras junto da comunidade portuguesa – sabe da importância do apoio recebido do homenageado e a isso mesmo se referiu ao ser convocado a pronunciar-se nessa noite.

Manuel Alexandre louvou o facto de que, "mesmo não vivendo em Brampton", Frank Alvarez ajuda e incentiva a comunidade portuguesa local e por isso mesmo, "em Agosto passado lhe foi prestada uma homenagem na nossa cidade", estando ali nessa noite para o congratular e agradecer por todo o seu apoio.

Uma voz do passado ainda recente, Hazel McCallion, que de 1978 a 2014 presidiu à Câmara Municipal de Mississauga, foi outra das convidadas especiais que estiveram presentes nesta cerimónia.

A dinâmica nonage-nária fez questão de destacar o quanto a cidade cresceu com o desenvolvimento da cultura portuguesa na cidade, lembrando que "os portugueses comandam os maiores negócios" e que "a contribuição de Frank (Alvarez) é de extrema importância" para esse sucesso.

O evento atraiu também a presença de figuras destacadas do sector laboral, incluindo os sindicalistas Jack Oliveira, administrador da LIUNA Local 183, do seu congénere da filial irmã "506", Carmen Principato e do vice-presidente da LIUNA, ,Joseph Mancinelli, entre outras.

Mais tarde, já com a sobremesa servida, foi altura de chamar ao palco o presidente do CCPM, Tony de Sousa, bem como Jorge Mouselo e todos os elementos do comité responsável pela selecção do vencedor do prémio Community Spirit 2017 – constituído por Alfredo Pita, Bernardino Ferreira, Gilberto Moniz, Jack Prazeres, Luís Arruda e Luísa de Sousa.

Convocado para receber o seu prémio e a placa alusiva, Frank Alvarez agradeceu a honra que lhe foi concedida, destacando a esposa, Lola Alvarez, como a sua fonte de apoio e inspiração em todos os momentos da sua jornada.
No decorrer do seu discurso, o empresário manifestou a sua felicidade por receber este ano o reconhecimento e homenagem prestada pelo Community Spirit Award, concluindo tratar-se de um prémio que "dedico a todos vocês, lusos" uma vez que "tudo é feito para vocês e vocês são parte deste todo".

"O meu muito e sincero obrigado", finalizou.
Nessa noite proceder-se-ia ainda à entrega de mais um donativo à LCCS, um cheque no valor de 7.000 dólares, tendo para esse efeito sido chamados ao palco o responsável por aquela organização, Jack Prazeres, e Frank Alvarez.

Aquela que foi seguramente uma noite memorável para o homenageado viria a culminar com um espectáculo assente na canção nacional, com a actuação do artista Hélder Moutinho que durante cerca de uma hora serenou o público com as melodias características do fado, acompanhado pelos músicos Ricardo Pereira, André Ramos e Ciro Bertini.


Voltar a Sol Português