1ª PÁGINA


Davenport:

Quase 900.000 dólares para incentivar a contratação de jovens

Deputada Julie Dzerowicz anuncia maior investimento de sempre na criação de empregos de Verão no distrito

Por João Vicente
Sol Português

A deputada federal Julie Dzerowicz revelou terça-feira (21) o valor das verbas que este ano serão atribuídas a organizações e empresas do distrito de Davenport para estimular a contratação de jovens em regime de empregos de Verão: perto de 900.000 dólares, a maior quantia de sempre, revelou a representante deste círculo eleitoral torontino.

Reunidas na Igreja Comunitária Davenport Perth, cerca de três dezenas de pessoas assistiram à apresentação dos representantes de organizações e empresas locais – alguns acompanhados por jovens que pretendem contratar – que foram convidados a pronunciar-se sobre o programa Canada Summer Jobs (CSJ) após uma breve saudação e prefácio por parte da deputada.

O grupo de oradores representavam uma grande diversidade de empresas e ramos de actividade, desde uma firma de arquitectos a companhias de teatro, organizações de apoio social e até uma estação de rádio, embora não se encontrasse presente nenhuma organização de origem luso-canadiana.

Questionada sobre esta lacuna, a deputada respondeu que organizações como o Centro Abrigo ou o First Portuguese Canadian Cultural Centre beneficiam do programa de empregos de Verão CSJ e salientou, como exemplo, que o Abrigo se tem feito representar na maioria dos eventos deste género que tem organizado, pelo que não seria correcto criticar a sua ausência.

Até porque, destacou, à hora em que decorreu este encontro estas organizações têm um trabalho importante a desempenhar, com recursos humanos limitados.

Com respeito às verbas agora anunciadas, a política indicou que o montante dedicado a Davenport triplicou desde que em 2015 assumiu funções em representação do distrito no Parlamento federal.

De acordo com Julie Dzerowicz, nesse ano Davenport terá recebido 286.000 dólares para financiar a criação de 89 empregos de Verão, mas após a sua eleição "duplicámos esse montante para perto de meio milhão de dólares", quantia que ainda assim considerou insuficiente face à realidade deste distrito.

"Eu lutei por Davenport porque achei que [os responsáveis] não conheciam o nosso bairro", esclareceu a deputada, adiantando que "52% [dos residentes] nasceram fora do país, temos uma quantidade enorme de organizações artísticas e culturais, uma série de grupos incríveis que defendem os jovens nas áreas de Imigração e Refugiados", a par de outros que trabalham na erradicação da pobreza e com crianças, assim como "uma quantidade de pequenas empresas incríveis".

Foi, como referiu, uma luta de três anos com o ministério, "para comunicar que estamos a financiar insuficientemente a juventude de Davenport".

No decorrer da sua alocução, a deputada destacou alguns dos dados que levou à atenção de Otava, nomeadamente o facto de Davenport ocupar a 16.ª posição entre os 338 distritos eleitorais canadianos no que respeita ao número de jovens, e que o salário mediano está abaixo da média da cidade de Toronto, factores que até este ano não estavam a ser tidos em conta pelo ministério responsável.

"Sinto, pela primeira vez, que estamos finalmente a financiar adequadamente a juventude de Davenport e a dar-lhes a oportunidade de ganharem experiência de trabalho e de experimentarem áreas diferentes para avaliarem potenciais oportunidades de futuras carreiras, assim como a financiar e a apoiar as organizações desta comunidade", referiu a deputada federal.

Na explicação de Julie Dzerowicz, a Estratégia de Emprego Juvenil do governo canadiano tem três vertentes, sendo a CSJ uma delas, centrada na criação de empregos de Verão.

Há ainda a Skills Link, que ajuda os jovens a ultrapassarem barreiras que lhes dificultam encontrar trabalho – tais como serem pais solteiros ou por terem deficiências físicas ou cognitivas – e a Career Focus, que ajuda os estudantes do ensino superior a encontrar emprego através de estágios ou de cursos adicionais,

Contudo, estes programas foram criados décadas antes e não eram adaptados às realidades modernas desde os anos '90.

Coube à ministra responsável pela pasta do Emprego, Trabalho e Desenvolvimento da Força Laboral, Patty Hajdu, tentar rectificar a situação, tendo para isso consultado diferentes organizações em todo o país, incluindo em Davenport onde Julie Dzerowicz convidou jovens do Conselho Juvenil de Davenport, do Dovercourt Boys and Girls Club e do Centro Comunitário e de Saúde Davenport Perth a expressarem as suas ideias, desejos e preocupações à ministra.

Julie Dzerowicz revelou que desde então a ministra Hajdu já a abordou em mais do que uma ocasião para indicar que os depoimentos recolhidos validaram os que já vinha a escutar de organizações maiores, como a YMCA.

"Não posso ainda anunciá-la, mas parece-me que da Estratégia de Emprego Juvenil modernizada, que será dada a conhecer nas próximas semanas, vão constar as `impressões digitais' destes jovens de Davenport", afirmou a deputada.

Presente a esta conferência esteve a directora artística do Teatro Gargantua, Jacquie Thomas, que indicou que cortes nas verbas atribuídas ao programa CJS no passado obrigaram a uma redução no número de estudantes que empregam, mas que desde que Julie Dzerowicz assumiu o cargo de deputada a situação tem vindo a mudar, salientando que em 2018 contrataram dois estudantes no Verão e este ano irão contratar três.

"Esta companhia teatral existe há 27 anos e tem a reputação de servir de incubadora das gerações seguintes; estas verbas são um factor fundamental para atrair os jovens e dar-lhes formação durante os meses de Verão", esclareceu a directora artística.

Também a organização sem fins lucrativos Pollinator Partnership Canada (PPC), que estuda os animais responsáveis pela polinização, destacou ser graças a estas verbas do governo federal que pôde contratar dois estudantes, um para ajudar a equipa de três pesquisadores sedeada em Davenport, e outro para prestar serviço complementar na Terra Nova.

"Os polinizadores ajudam à reprodução das plantas pois polinizam entre 75 a 95% das plantas que dão flor na Terra", explicou o coordenador de comunicações da PPC, Anthony Collangelo, salientando que "uma em cada três garfadas de comida que consumimos se deve à polinização, pelo que organismos como as abelhas, as borboletas, as aves ou os morcegos são não só muito importantes para o meio-ambiente mas também para nós", humanos.

Contudo, não são apenas instituições sem fins lucrativos, com mandato social ou artístico que recebem estas verbas, como exemplifica Devin Glowinski, sócio sénior da firma de arquitectos Kilogram Studio.

"Temos contratado estudantes de arquitectura e damos-lhe formação num sector altamente técnico, no próprio terreno", esclareceu o arquitecto, salientando que isso se deve às verbas atribuídas pelo programa CSJ.

A nova versão do CSJ deixa de estar limitada só a estudantes e passa a abranger todos os jovens canadianos, imigrantes legais ou refugiados, entre os 15 e os 30 anos de idade, com a concessão de subsídios à entidade patronal para a criação de empregos de Verão com a duração de 8 a 12 semanas e salários entre 14 e 20 dólares/hora.

Os jovens interessados procuram emprego através do portal jobbank.gc.ca/youth, onde as oportunidades estão a ser compiladas, processo que deve estar concluído dentro de poucas semanas.

Segundo a deputada Julie Dzerowicz, o Canadá está a atravessar um período de baixo desemprego juvenil que bate recordes desde que esta estatística começou a ser compilada, em 1976.

Actualmente, cifra-se em 10.3% – em vez dos habituais 11 a 20% – e a Estratégia de Emprego Juvenil, da qual a CSJ faz parte, com um investimento de 49,5 milhões de dólares este ano, encaixa numa estratégia abrangente, destinada a criar uma força laboral marcado por trabalhadores com melhor formação e mais competitivos.


Voltar a Sol Português